autoeuropa, , , " />
últimas

Autoeuropa prepara-se para fechar portas

Publicado por Vítor Santos em 13 de Dezembro de 2018 | 22:48

Primeiro-ministro e Diretor-geral da VW reuniram-se e António Costa conseguiu um adiamento da decisão por mais 24 horas. Trabalhadores já foram alertados

Autoeuropa

Siga-nos através do Facebook

A mtv24 sabe que o último automóvel da fábrica de Setúbal sairia da linha de montagem às 24 horas desta quinta feira. Uma reunião entre o primeiro-ministro e o Diretor-geral da VW resultou num adiamento da decisão por mais 24 horas.

A mtv24 sabe que os motores, inicialmente com destino a Portugal, estão a ser “desviados” para uma nova fábrica no Norte da Alemanha e que foi dado ordem aos fornecedores de peças para pararem a produção e suspenderem todas as entregas.

Os trabalhadores da Autoeuropa foram hoje alertados para a possibilidade de suspensão da produção devido à acumulação de viaturas provocada pela paralisação do Porto de Setúbal. E fonte que pediu anonimato revelou à mtv24 que uma das duas prensas de peças da carroçaria, já foi desmontada e enviada para a Alemanha. A mtv24 não conseguiu confirmar a veracidade desta revelação.

“Amanhã vamos trabalhar, pelo menos no turno da manhã e no turno da tarde, mas não sabemos mais do que isso. O que sabemos é que a Base Aérea do Montijo, onde já temos milhares de viaturas, está no limite da capacidade e o parque da Autoeuropa no Porto de Setúbal também está completamente cheio”, disse à agência Lusa um trabalhador da empresa.

A fábrica de automóveis da Volkswagen em Palmela produz diariamente mais de 800 veículos e já tem mais de 20.000 viaturas parqueadas na Base Aérea do Montijo e no Porto de Setúbal devido à paralisação dos estivadores eventuais, que recusam apresentar-se ao trabalho desde o passado dia 05 de novembro como forma de pressão para exigirem um contrato coletivo de trabalho.

Um mediador indicado pelo Governo está a tentar resolver o conflito entre as empresas portuárias e o Sindicato dos Estivadores mas, até ao momento, ainda não houve acordo, pelo que se mantém a paralisação do Porto de Setúbal.

Na passada quarta-feira, a AISET – Associação Industrial da Península de Setúbal, alertou para as consequências nefastas da paralisação para as empresas da região que estão a ser “asfixiadas” devido à impossibilidade de fazerem exportações e de importarem matérias-primas.

Entre as empresas mais afetadas pela paralisação do Porto de Setúbal estão algumas das principais exportadoras da região, designadamente a Navigator, a Volkswagen Autoeuropa e a Lusosider.

A agência Lusa tentou ouvir a administração da Autoeuropa sobre a possibilidade de suspensão antecipada da produção, mas até ao momento não foi possível.


Deixe o seu comentário

Leia também

Notícias relacionadas
Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE