Barreiras Duarte apresenta demissão

Numa carta enviada aos órgãos de comunicação social, Feliciano Barreiras Duarte nega qualquer falsificação, irregularidade ou aproveitamento ilícito em ambos os casos e garante que a demissão do cargo é tão irrevogável Feliciano Barreiras Duarte apresentou há minutos a demissão do cargo de secretário-geral do PSD na sequência de diversas polémicas surgidas nos últimos dias, […]

Autor: Vítor Santos | 18 de Março de 2018

Numa carta enviada aos órgãos de comunicação social, Feliciano Barreiras Duarte nega qualquer falsificação, irregularidade ou aproveitamento ilícito em ambos os casos e garante que a demissão do cargo é tão irrevogável


Feliciano Barreiras Duarte apresentou há minutos a demissão do cargo de secretário-geral do PSD na sequência de diversas polémicas surgidas nos últimos dias, desde o currículo académico até às questões relacionadas cm o pagamento de ajudas de custo enquanto paramentar.

Numa carta explicativa enviada aos órgãos de comunicação social, Feliciano Barreiras Duarte nega qualquer falsificação, irregularidade ou aproveitamento ilícito em ambos os casos e garante que a demissão do cargo “é tão irrevogável que já está concretizada”.

“Ao mesmo tempo, tenho perfeita consciência, como qualquer observador minimamente atento, de que não sou eu o alvo, mas sim o líder do meu partido e a sua direção; por isso ficar seria avolumar o problema e não contribuir nada para a solução”, explica Feliciano Barreiras Duarte.

O secretário-geral do PSD demissionário garante: “saio de consciência tranquila; nunca ganhei nada, nem com uma, nem com outra situação; não tirei qualquer proveito da Universidade de Berkeley – nem financeiro, nem de grau académico, nem profissional, nem político; não procurei qualquer benefício material ou outro, antes pelo contrário, com a questão da morada no Parlamento”.

“Espero que a minha demissão faça cessar os ataques à direcção do PSD e permita que o Dr. Rui Rio, a quem agradeço a confiança e a amizade, bem como a sua equipa, consigam atingir os objectivos que justamente perseguem, pois isso é o que é o melhor para o País e deve constituir a única preocupação de todos e de qualquer de nós”, defende Feliciano Barreira Duarte nesta longa carta.

O ex-secretário-geral do PSD sublinha ainda que vai “aguardar serenamente os resultados do inquérito que a Procuradoria-Geral da República anunciou ir abrir; quem não deve não teme, e eu não devo nada a ninguém para além da minha consciência”.

“Não há lugar a arrependimentos: dediquei os melhores anos da minha vida ao PSD e à actividade política e voltaria a fazer o mesmo, pois considero que servir o País é o mais nobre dos deveres”, conclui Feliciano Barreiras Duarte.

Esta é a primeira baixa na direção do PSD de rui rio, eleita há cerca de um mês.

Deixe o seu comentário
Leia também