Benfica 0-0 Tondela: Águias falham liderança isolada

Publicado por Horta e Costa em 4 de Junho de 2020 | 21:33

Num jogo que lhe poderia ter valido a liderança isolada, o Benfica não conseguiu marcar ao Tondela e falhou a ultrapassagem ao FC Porto

O Benfica ficou-se pelo nulo na receção ao Tondela e falhou assim a ultrapassagem ao FC Porto no topo da I Liga, na primeira jornada após o reatar da competição, após quase três meses de paragem devido à pandemia da COVID-19.

Bruno Lage apostou nos regressos de Jardel e Gabriel ao ‘onze’ inicial, mexeu no ataque e trocou os avançados no segundo tempo, mas as ‘águias’, apesar de criarem várias ocasiões de golo, sobretudo no segundo tempo, mostraram falta de pontaria no seu primeiro jogo ‘pós-desconfinamento’ e seguem agora em igualdade pontual com o FC Porto no topo da tabela.

Benfica mostra ‘fome de bola’ nos primeiros minutos

Ciente de que um triunfo o colocaria na frente da tabela classificativa, depois da derrota sofrida pelo FC Porto em Famalicão, o Benfica entrou com tudo no jogo e, praticamente no primeiro lance do encontro, Rafa, desmarcado por Vinícius , surgiu solto de marcação na grande área do Tondela e rematou cruzado, mas Cláudio Ramos negou-lhe o golo com uma excelente intervenção com o pé esquerdo.

Estava dado o mote para uns primeiros 15 minutos de forte pressão ‘encarnada’. Minutos mais tarde foi Jardel, de regresso à titularidade, a ficar a milímetros do golo, com um cabeceamento a rasar o poste após pontapé de canto cobrado por Grimaldo.

Ritmo baixa e intervalo chega com tudo ‘a zeros’

Aos poucos, contudo, o ímpeto inicial das ‘águias’ foi-se perdendo e, apesar de continuarem instaladas no meio-campo de um Tondela que não conseguia sair com a bola controlada, só à passagem da meia hora voltaram a criar perigo. Cruzamento largo de Rúben Dias para o segundo poste, onde surgiu Vinícius a tentar finalizar, mas de ângulo apertado o brasileiro acertou mal na bola e esta saiu ao lado do alvo.

O Tondela deu, enfim, um ar da sua graça nos minutos finais da primeira parte, conseguindo finalmente chegar perto da grande área do Benfica, mas o melhor que conseguiu foi um remate de Ricardo Valente que esbarrou no corpo de Weigl e outro, de Murillo, a esbarrar no corpo de Gabriel. O intervalo chegou mesmo com 0-0.

Foram uns primeiros 45 minutos sem o colorido do público nas bancadas e sem o colorido dos golos no marcador.

 Benfica entra com tudo no segundo tempo

A segunda parte arrancou exatamente como a primeira: com o Benfica a entrar rápido e Rafa a criar perigo, desta feita com um remate cruzado, ligeiramente ao lado. Minutos mais tarde, foi Gabriel, numa jogada de insistência, a trabalhar bem e a tentar a sua sorte com um remate em arco que saiu por cima.

O Benfica crescia a olhos vistos e, na sequência da melhor jogada do encontro, quase ganhou vantagem por Pizzi. A bola rapidamente pelos pés de vários jogadores até chegar aos pés do ‘camisola 21’ que, já dentro da grande área, solto de marcação, rematou forte e rasteiro para defesa de Cláudio Ramos. Pouco depois, o guarda-redes do Tondela voltou a mostrar segurança ao defender um disparo de longe de Taarabt.

Os lances de perigo iam-se sucedendo, mas o Tondela ia resistindo. Aos 62 minutos, já depois de Bruno Lage ter apostado ainda mais no ataque com a entrada de Dyego Sousa para o lugar de Weigl, Carlos Vinícius ganhou espaço na área e rematou para o golo, mas viu Phillipe Sampaio lançar-se para a frente do esférico e intercetar o disparo.

 Tondela ameaça, Benfica volta a reagir, mas golos…nem vê-los

Os minutos, contudo, iam passando e o nulo teimava em manter-se. Com espaço, o Tondela ia esboçando alguns contra-ataques, ainda que sem nunca assustar Vlachodimos. Mas a frequência dessas saídas para o contra-ataque foi, aos poucos, crescendo e ao minuto 75 os visitantes fiaram mesmo perto de marcar. Murillo aguentou bem a pressão, serviu Richard e este driblou um adversário antes de atirar cruzado ao poste mais afastado. A bola saiu a rasar!

O Benfica acusou o toque e voltou à carga. Primeiro, Rúben Dias cabeceou solto de marcação ao segundo poste e fez a bola roçar no poste da baliza de Cláudio Ramos e, logo depois, no seguimento de uma bonita jogada, Seferovic, acabado de entrar para o lugar de Vinícius, surgiu isolado mas atirou ao lado.

Já dentro dos sete minutos de desconto concedidos pelo árbitro, Dyego Sousa quase marcou. O avançado internacional português cabeceou e, quando já se preparava para festejar, viu Petkovic cortar em cima da linha.

A bola parecia não querer entrar e não entrou mesmo. Instantes depois, Manuel Mota apitava para o final da partida, confirmando o 0-0, o primeiro da I Liga nesta sua retoma. O Benfica não consegue, assim, melhor do que igualar o FC Porto no topo da tabela, onde ambos somam agora 60 pontos. Já o Tondela sobe, provisoriamente, ao 12.º posto.

Deixe o seu comentário

Siga-nos através das redes sociais

últimas
Notícias Relacionadas
Leia também