As cabras sapadoras do Governo

Publicado por Vítor Santos em 14 de Fevereiro de 2018 | 19:05

“Cabras sapadoras”? Nem no tempo do Salazar, os bombeiros foram alvo de um tratamento tão pouco digno O Governo vai avançar este ano com projetos-piloto… [ ]

“Cabras sapadoras”? Nem no tempo do Salazar, os bombeiros foram alvo de um tratamento tão pouco digno


O Governo vai avançar este ano com projetos-piloto de “cabras sapadoras” com rebanhos dedicados à gestão de combustível florestal na rede primária, anunciou recentemente o secretário de Estado das Florestas, Miguel Freitas, destacando o reforço na prevenção de incêndios, sem, no entanto, quantificar o número de cabras que o Governo pretende contratar e se essa contratação será por concurso público ou adjudicação directa.

Quem não gosta da ideia é a Associação Nacional de Bombeiros Profissionais (ANBP), que lamenta a designação “cabras sapadoras” dada ao projeto e consideram abusiva a utilização do termo ‘sapadoras’, uma vez que o mesmo reporta a uma classe profissional que conta com mais de 600 anos de história em Portugal e que merece o respeito de todos e sobretudo dos órgãos de soberania”.

E agora digo eu: “cabras sapadoras”? Nem no tempo do Salazar, os bombeiros foram alvo de um tratamento tão pouco digno. E depois… cabras? A fazer gestão de combustível florestal na rede primária?

Obviamente que este governante desconhece a realidade da floresta em Portugal! E das duas uma: lançou a ideia quando estava sob efeito de drogas ou é um lunático!

Porventura equacionou a destruição de hortas, vinhas e pomares que circunda a floresta?

Porventura o secretário de Estado confundo camelos com cabras? É que estas precisam de água todos os dias! Imaginem um verão prolongado (como o anterior), vamos ter os animais a invadir as povoações limítrofes para saciarem a sua sede.

Acresce a tudo isto a apetência por um bom cabrito assado no forno ou uma “chanfana” à “moda da serra”.

Senhor secretário de Estado, Já pensou em contratar uns leões e uns tigres? Esta podia ser uma forma de afugentar os incendiários – ou não? Pense.

Vítor Santos

Deixe o seu comentário

Siga-nos através das redes sociais

últimas
Notícias Relacionadas
Leia também