Câmara concedeu apoio a filho de Sérgio Figueiredo

Câmara Municipal de Lisboa, ainda presidida por Fernando Medina, concedeu apoio de 350 mil euros a empresa do filho de Sérgio Figueiredo

Sérgio Figueiredo
Autor: Horta e Costa | 21 de Agosto de 2022

Em 2020, quando a Câmara Municipal de Lisboa era ainda presidida por Fernando Medina, a autarquia concedeu um apoio de 350 mil euros à empresa de Sérgio Jacob Ribeiro, filho de Sérgio Figueiredo.

A Câmara Municipal de Lisboa (CML), liderada por Fernando Medina, concedeu um apoio de 350 mil euros a um evento organizado pelo filho de Sérgio Figueiredo, na altura diretor da TVI, do qual a estação de televisão foi media partner, noticia o semanário Novo (acesso livre).

O apoio destinou-se à realização de um evento na área da sustentabilidade chamado Planetiers World Gathering 2020, tendo a TVI recebido um valor “considerável” por ser media partner da iniciativa, confirmou o antigo diretor de informação da TVI ao mesmo jornal, sem revelar o montante em causa.

O semanário Novo adianta ainda que em 2020, o canal de televisão deu relevância ao evento, bem como à empresa que foi responsável pela sua organização: a Planetiers Eventos, Marketing e Comunicação detida pela Planetiers New Generation, que tem Sérgio Jacob Ribeiro como sócio-gerente com uma participação de 33,34%. O restante capital é detido por outros dois acionistas.

Na sequência desta notícia, o Chega e a Iniciativa Liberal (IL) exigiram mais explicações ao ministro das Finanças sobre as ligações entre Fernando Medina e Sérgio Figueiredo, ex-diretor de informação que renunciou ao cargo de consultor das Finanças.

Em comunicado citado pela Lusa, o partido liderado por André Ventura pediu mais esclarecimentos sobre este caso e solicitou à câmara de Lisboa, que Medina presidiu antes de ir para o Governo, que “torne públicos todos os contratos existentes ou que existiram”, assim como avenças de prestação de serviços, entre o município e “Sérgio Figueiredo ou familiares, ou empresas de que estes sejam titulares ou proprietários de facto”.

Já a IL também em comunicado citado pela Lusa, considerou que as notícias dos últimos dias “adicionam factos que comprovam a existência de uma teia de relações construída” entre Fernando Medina e Sérgio Figueiredo, “tornando absolutamente evidente a forma despudorada como se usa e abusa do dinheiro dos contribuintes”.

Deixe o seu comentário