Câmara de Loures contrata genro de Jerónimo

Benardino Soares - PCP
Autor: Vítor Santos | 18 de Janeiro de 2019

A Câmara Municipal de Loures, liderada por Bernardino Soares, do PCP, contratou, por ajuste direto, o genro de Jerónimo de Sousa por valores acima do vencimento do próprio presidente do município.

Onze mil euros por mês, só no último contrato, que prevê fazer a limpeza e manutenção de paragens de autocarros e ‘mupis’ de publicidade na zona de Loures. Num dos meses, recebeu esse valor, limitando-se a mudar oito lâmpadas e dois casquilhos.

Jorge Bernardino, casado com a filha de Jerónimo de Sousa, estava desempregado há três anos e, antes deste contrato, tinha trabalhado num talho, numa florista e num supermercado.

Jerónimo de Sousa e Bernardino Soares foram ouvidos no âmbito da reportagem e negaram qualquer favorecimento.

Veja a reportagem.

Gabinete de Imprensa do PCP já reagiu

Uma nota entretanto emitida pelo Gabinete de Imprensa do PCP, acusa a TVI de manipulação, mentira e difamação no comando editorial da estação emissora.

“A reportagem exibida pela TVI na abertura do seu Jornal das 8, de 17 de Janeiro, visando o PCP e o seu Secretário-Geral, constitui uma abjecta peça de anticomunismo sustentada na mentira, na calúnia e na difamação.

A peça da TVI e os interesses que a comandam revelam até que ponto pode chegar a mercenarização do papel jornalístico e o atrevimento inqualificável de uma estação televisiva que parece ter adoptado como critérios editoriais a opção pela especulação e insulto gratuito a par da conhecida promoção da extrema-direita e da reabilitação de Salazar e do regime fascista.

O nível rasteiro do ponto de vista deontológico, que a generalidade dos jornalistas rejeitará, é de tal monta que, em si mesmo, não mereceria resposta nem notas de esclarecimento. Mas porque uma mentira não desmentida pode ser tida como verdade, cumpre dar nota pública de que os serviços referenciados na reportagem decorrem de um contrato publicamente escrutinável a uma empresa unipessoal (que a TVI transforma, sem escrúpulos e falsamente, em escolha de uma pessoa), a exemplo do que, para a mesma actividade, foi feito para outra empresa e de milhares de contratos idênticos a que as autarquias, incluindo a de Loures, recorrem para prestação de serviços com objectivos diversos.

A insidiosa invocação da relação entre uma empresa e as relações familiares do Secretário-Geral do PCP só pode ser vista como uma gratuita provocação.

Ainda que se pudesse dispensar de o afirmar, Jerónimo de Sousa e o PCP pautam a sua atitude, como é notório e reconhecido, por critérios e opções de elevada exigência ética, de honestidade e recusa de benefícios pessoais na sua acção política.

Aqueles que, como a TVI, pensam que com o silenciamento, a difamação e a perseguição podem calar o PCP estão profundamente enganados. O PCP não se deixará intimidar hoje, como não se deixou intimidar no passado, incluindo com as mais torpes e soezes difamações e perseguições movidas pelo regime fascista que a TVI agora branqueia. O PCP prosseguirá a sua intervenção e luta ao serviço dos trabalhadores, do povo e do País”.

Deixe o seu comentário
últimas notícias

Quem nos anda a roubar no preço dos combustíveis?

Covid-19: Testes e certificados à venda no mercado negro

Gelados e queijos contaminados com pesticida cancerígeno

Estado da nação: um PS de narrativas enganadoras

Leia também