Chega pede divulgação da auditoria do Novo Banco

Publicado por Vítor Santos em 2 de Setembro de 2020 | 18:32

O Chega fez chegar esta quarta-feira à AR um projeto de resolução onde pede a divulgação “pública e integral” da auditoria do Novo Banco

Chega pede divulgação “pública e integral” da auditoria do Novo Banco quer em termos de parceiros negociais, operações de concessão de crédito, imparidades ou prejuízos acumulados, nada justifica que partes substanciais deste relatório sejam mantidos, neste momento, como sigilosos ou confidenciais”, aponta André Ventura.

O Chega fez chegar esta quarta-feira à Assembleia da República um projeto de resolução onde pede a divulgação “pública e integral” da auditoria do Novo Banco elaborada pela consultora Deloitte.

No documento assinado pelo líder do partido, André Ventura, é recomendado ao Governo que “promova com urgência a divulgação pública e integral da auditoria realizada à atividade do Novo Banco”, mas também que “envie imediatamente o documento, integral e sem cortes, para efeitos de apreciação preliminar, à Procuradoria Geral da República, havendo matéria suscetível de integrar a prática, por sujeitos individuais e pessoas coletivas, de ilícitos criminais”.

“Quer em termos de parceiros negociais, operações de concessão de crédito, imparidades ou prejuízos acumulados, nada justifica que partes substanciais deste relatório sejam mantidos, neste momento, como sigilosos ou confidenciais”, aponta André Ventura.

Para o Chega, “a maior parte destes elementos e das situações que as contextualizam são já do conhecimento do público português, sendo decisivos para a avaliação política das decisões tomadas pelo Executivo e pelas decisões técnicas tomadas pela direção do Novo Banco, em ambos os casos suscetíveis de escrutínio pelo povo português”.

Na recomendação do partido, André Ventura recorda que de momento estão “já solicitadas pelo menos duas comissões de inquérito parlamentar à atividade do Novo Banco, do Chega e do Bloco de Esquerda (BE), onde serão naturalmente analisados com conhecimento do público todos estes elementos, não faz sentido continuar a manter partes da auditoria ou das suas componentes como confidenciais ou sigilosas”.

Esta terça-feira, também o Bloco de Esquerda requereu a versão integral da auditoria ao Novo Banco. No texto de Mariana Mortágua, o BE pediu “com caráter de urgência, o envio à Assembleia da República do relatório da auditoria especial ao Novo Banco na sua versão integral, incluindo a lista de entidades codificadas”, bem como “no texto assinada pela deputada Mariana Mortágua, o Bloco de Esquerda pede também “a divulgação pública imediata do relatório de auditoria especial ao Novo Banco, na sua versão atual”.

Além do requerimento, o BE quer uma comissão de inquérito ao Novo Banco, uma vez que considera a auditoria da Deloitte insuficiente. “E por entendermos que a auditoria não vai tão longe quanto devia no escrutínio da atual administração do Novo Banco que queremos a comissão de inquérito. O que é preciso descobrir não é o volume das perdas, essas são publicadas nos relatórios e contas. O que queremos saber é se havia negócios ruinosos por que é que foram transferidos para o Novo Banco”, referiu Mariana Mortágua esta quarta-feira, em conferência de imprensa.

Deixe o seu comentário

Siga-nos através das redes sociais

últimas
Notícias Relacionadas
Leia também