Cigarros eletrónicos matam nos EUA

Publicado por Adília Vieira em 12 de Novembro de 2019 | 17:09

Cigarros eletrónicos: Composto de vitamina E, associado às mortes de consumidores nos Estados Unidos. A doença já afetou mais de duas mil pessoas

Um composto químico da vitamina E, chamado “acetato”, poderá estar associado às 39 mortes de utilizadores de cigarros eletrónicos nos Estados Unidos. As autoridades norte-americanas continuam a recomendar que as pessoas não usem estes produtos, em particular se tiverem origem em fontes informais ou não seguras.

Na passada sexta-feira, dia 8, foi publicado um relatório que identificou a presença desta substância nos fluidos pulmonares de 29 pacientes com EVALI – sigla em inglês para “E-cigarette or Vaping product use-Associated Lung Injury”.

A doença já afetou mais de duas mil pessoas nos EUA.

“As análises fornecem evidências diretas de que o acetato de vitamina E é a principal causa das lesões pulmonares”, disse Anne Schuchat, vice-diretora do Centro de Controlo e Prevenção de Doenças (CDC – “Centers for Disease Control and Prevention”, no original). “Acetato” é o nome químico da molécula.

Schuchat acrescentou que “ainda não foi detetada nenhuma outra toxina potencial nas análises”.

O acetato de vitamina E é “usado como aditivo na produção de cigarros eletrónicos” e dos produtos à base de THC (tetrahidrocanabinol), descreve o CDC.

A vitamina E é normalmente inofensiva, podendo ser comprada na forma de uma cápsula para engolir ou um óleo para aplicar na pele. Contudo, esta torna-se nociva se for inalada ou aquecida, explica a agência noticiosa France-Presse.

O estudo do CDC vem confirmar as suspeitas que já vinham sendo levantadas de que a origem das mortes estivesse nesta toxina.

O CDC continua a recomendar que as pessoas não usem cigarros eletrónicos que contenham THC, em particular de fontes informais ou não seguras, uma vez que a maioria dos casos de lesões pulmonares decorrentes do uso de cigarros eletrónicos poderá estar associada ao THC, o principal ingrediente psicoativo da marijuana.

“Quer nos cigarros eletrónicos, quer no tabaco aquecido, existem outros tóxicos que não existem no cigarro tradicional e que têm riscos acrescidos para a saúde humana, incluindo o risco de desenvolver cancro”, referiu Sofia Ravara, pneumologista e professora de Medicina Preventiva, à margem do 35.º Congresso de Pneumologia, este sábado.

Deixe o seu comentário

Siga-nos através das redes sociais

últimas
Leia também