Desmantelamento de rede criminosa

Megaoperação de desmantelamento de rede criminosa no Norte do país já resultou em 19 detidos, segundo confirmou fonte da polícia à Multinews

GNR
Autor: Horta e Costa | 30 de Maio de 2022

A Guarda Nacional Republicana (GNR) está a levar a cabo esta segunda-feira uma megaoperação de desmantelamento de uma rede criminosa organizada, no Norte do país, que já resultou em 19 detidos, segundo confirmou fonte da polícia à Multinews.

Foram ainda constituídos cinco arguidos e apreendidas seis viaturas, sete armas de fogo e cerca de 16 mil euros em numerário, no balanço feito até às 11h20, revelou a mesma fonte.

Em comunicado, a GNR informa que “o Comando Territorial do Porto, através do Núcleo de Investigação Criminal (NIC) de Santo Tirso, encontra-se neste momento, no dia 30 de maio, a desenvolver uma megaoperação policial”.

O objetivo, adianta, é o “desmantelamento de uma rede organizada de crimes de furto, furto qualificado, roubo, sequestro, extorsão, posse de armas proibidas, tráfico de armas, tráfico de estupefacientes, burla e associação criminosa, nos distritos de Porto, Braga e Aveiro”.

“No âmbito de uma investigação por crimes contra o património, que decorre há cerca de dois anos, os militares da Guarda realizaram diversas diligências policiais e de investigação que culminaram na identificação de uma rede organizada e dos seus elementos”, acrescenta.

Segundo a mesma nota, “no decorrer da investigação foi possível apurar-se que estes elementos atuavam em todo o território nacional, sendo suspeitos de terem efetuado, pelo menos, 60 crimes”.

“No seguimento da investigação foi dado cumprimento a 56 buscas domiciliárias, sete em viaturas e estabelecimentos nos concelhos de Matosinhos, Santo Tirso, Valongo, Trofa, Ermesinde, Famalicão, Barcelos, Braga, Guimarães e Oliveira de Azeméis”, informa.

A GNR revela ainda que “para a realização desta operação encontram-se empenhados mais de 300 militares da Guarda Nacional Republicana (GNR) e cerca de 30 elementos da Polícia de Segurança Pública (PSP) em apoio”.

Leia também