bombarral, , , , , " />
últimas

Do jurássico ao século XXI

Publicado por Adília Vieira em 28 de Janeiro de 2019 | 22:15

Do jurássico ao século XXI. Oeste quer colocar o Planalto das Cesaredas a olhar para o futuro recordando e valorizando o seu passado ímpar

Parque Jurássico - Lourinhã

Siga-nos através do Facebook

Há 150 milhões de anos estava submerso pelo mar, hoje é um território com um património natural ímpar dividido por Bombarral, Lourinhã, Óbidos e Peniche. Para preservar e promover o Planalto das Cesaredas, a Comunidade Intermunicipal do Oeste une-se aos municípios para instalar um centro de informação e interpretação, e disponibilizar de experiências de lazer e recreio.

A Comunidade Intermunicipal do Oeste traçou como objetivos estratégicos aumentar a visibilidade do Planalto das Cesaredas como local de referência nas áreas da educação ambiental, instalar um centro de informação e interpretação do património, promover praticas de referência ao nível da gestão urbanística e ambiental por forma a assegurar a sustentabilidade do território e criar experiências de lazer e recreio na zona.

Bombarral, Lourinhã, Óbidos e Peniche dividem entre si o território do Planalto das Cesaredas, espaço que há 170 a 150 milhões de anos estava submerso pelo mar e onde hoje predominam formações rochosas em calcário do período Jurássico, com 150 milhões de anos.

No local já foram descobertas 15 novas espécies animais fósseis das 170 ali encontradas, na sua maioria invertebrados marinhos como corais, bivalves ou amonites (parentes das lulas e dos chocos), mas também peixes e ancestrais de crocodilos, que coabitavam com os dinossauros.

O Planalto possui também interesse arqueológico, tendo em conta os vestígios da ocupação humana durante toda a Pré-História, com necrópoles, alguns povoados, como o Castro da Columbeira, e grutas classificadas (mais de uma dezena das 50 existentes) como sítios arqueológicos do Paleolítico e do Neolítico (de há 12 mil anos).

No Planalto, ocorreu também a Batalha da Roliça, em agosto de 1808, no período das invasões francesas, e este terá sido local dos encontros secretos entre D. Pedro e Inês de Castro.

Estes aspetos têm contribuído para o aumento do turismo histórico e de natureza na região, sendo de referir ainda as falésias calcárias da costa de Peniche, do Jurássico, que apresentam relevância internacional — é de realçar a ‘Ponta do Trovão’, classificada como geomonumento por ser característica do período Toarciano (183 milhões de anos) e por ali existirem fósseis marinhos.

Acreditando que o investimento na preservação do património natural e cultural contribui para o desenvolvimento e a coesão territorial, a Comunidade Intermunicipal do Oeste mantém um plano de valorização do Planalto das Cesaredas que já havia sido anunciado em 2017 aquando do I Congresso do Planalto das Cesaredas.


Deixe o seu comentário

Leia também

Notícias relacionadas
Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE