Doença de Chagas afeta 900 pessoas em Portugal

Publicado por Mtv24 Redação em 15 de Abril de 2020 | 10:18

Em Portugal, cerca de 900 pessoas vivem com a doença de Chagas e a maioria não sabe. Em todo o mundo são cerca de 7 milhões os infetados

Esquecida e silenciosa, a doença de Chagas é uma doença tropical negligenciada que, devido ao aumento das deslocações e movimentos migratórios, se espalhou para outros continentes, nomeadamente a Europa. Causada pela picada de insetos, pode também ser transmitida pelo sangue, transplantação ou da mãe para o feto. 

As estimativas apontam para a possível existência, em Portugal, de cerca de 900 pessoas com doença de Chagas, a grande maioria sem sintomas e sem diagnóstico. Os casos diagnosticados, principalmente na população brasileira residente, apresentam geralmente, doença cardíaca grave.

Desde 2015 que o Instituto Português do Sangue e da Transplantação realiza um teste de laboratório para doença de Chagas em todos os dadores que apresentam risco de ser portadores do parasita. Desta forma, a segurança do sangue está assegurada em Portugal.

Os doentes positivos são encaminhados para os especialistas em doenças infeciosas da área de residência para avaliação completa, tratamento e seguimento.

O Instituto de Higiene e Medicina Tropical, da Universidade Nova de Lisboa, (IHMT NOVA) tem realizado ações de formação para aumentar o nível de alerta dos clínicos sobre esta doença. Simultaneamente, é necessário sensibilizar a população, em particular as pessoas oriundas de zonas endémicas, para a importância do diagnóstico e tratamento, para prevenção das consequências graves e potencialmente fatais desta infeção.

Doença dos pobres

A falta de informação sobre a doença e o tratamento, associados ao estigma, contribuem para o aumento do número de casos e a evolução para complicações graves. A doença de Chagas é tradicionalmente vista como uma doença dos pobres. O estigma social é um dos maiores entraves à procura de cuidados médicos atempados.

“Não rebenta como as bombas, não soa como os tiros. Como a fome, mata os calados: os que vivem condenados ao silêncio e morrem condenados ao esquecimento. Tragédia que não se ouve, doentes que não pagam, doença que não vende”, escreveu o autor uruguaio Eduardo Galeano.

14 de abril, Dia Mundial da Doença de Chagas

É preciso fazer mais e melhor para que em Portugal todos os doentes sejam devidamente diagnosticados e tratados. O IHMT associa-a à Organização Mundial de Saúde (OMS), e assinala o Dia Mundial da Doença de Chagas, que aconteceu ontem, 14 de abril.

A data constitui uma oportunidade para aumentar a visibilidade e a consciência sobre esta doença silenciosa e negligenciada. A ampla divulgação em todos os segmentos da sociedade é fundamental para que os doentes de Chagas possam ganhar voz e para que seja possível eliminar a sua transmissão.

Sobre a Doença de Chagas

A doença de Chagas é uma parasitose que afeta cerca de 7 milhões de pessoas em todo o mundo. Segundo a OMS, anualmente, 10.000 morrem devido às complicações desta infeção.

A doença é transmitida pela picada de insetos nas Américas, mas pode também ser transmitida pelo sangue, transplantação ou da mãe para o feto. A fase aguda da doença é um quadro de febre e cansaço que geralmente se resolve espontaneamente em 4 a 6 semanas. Depois desta fase, o parasita permanece no organismo, principalmente no músculo cardíaco e nervos.

Um dos principais problemas é o desconhecimento sobre a doença. Silenciosa e assintomática após a fase aguda, a pessoa ignora que está infetada e não procura o médico. Algumas destas pessoas (20 a 30%) desenvolvem, décadas depois, doença cardíaca ou intestinal que geralmente é grave.

Existem medicamentos que podem levar à eliminação do parasita, impedindo a transmissão pelo sangue e órgãos, a passagem do parasita da grávida ao filho e o desenvolvimento de doença grave.

O diagnóstico laboratorial é imprescindível para identificar todos os portadores da infeção. Todas as pessoas nascidas ou tendo vivido em área geográfica de transmissão de doença de Chagas podem beneficiar em fazer um teste de deteção desta infeção. O seu médico poderá solicitar um teste de deteção, que se positivo, deve ser confirmado no laboratório de referência do Instituto de Higiene e Medicina Tropical.

Deixe o seu comentário

Siga-nos através das redes sociais

últimas
Notícias Relacionadas
Leia também