desnutrição angola, " />

Fome ainda mata em Angola

Publicado em 26 de Junho de 2018 19:50

Dados oficiais revelam que Angola está com uma taxa de desnutrição crónica na ordem dos 38%, com metade das províncias do país em situação de extrema gravidade


A província angolana do Bié registou, no primeiro trimestre deste ano, 103 óbitos por malnutrição, de um total de 636 casos da doença, dos quais 435 viram recuperado o seu estado de saúde, anunciaram as autoridades sanitárias locais.

Os dados avançados hoje pelo chefe de departamento de saúde pública e controlo de endemias do Bié, Isaías Cambissa, indicam que se registou um aumento do número de casos comparativamente com o mesmo período de 2017, com mais 82 notificações, contudo uma redução no número de mortes, com menos 13 óbitos.

Dados oficiais, revelados este mês, indicam que Angola está com uma taxa de “desnutrição [défice de alimentação, um tipo de malnutrição] crónica” na ordem dos 38%, com metade das províncias do país em situação de “extrema gravidade de desnutrição”, onde se destaca o Bié, com 51%.

Segundo Isaías Cambissa, citado pela agência noticiosa angolana, Angop, os doentes são sobretudo crianças menores de cinco anos, e a sua recuperação deve-se ao trabalho de pessoal especialista, ao fornecimento de medicamentos, acompanhado de campanhas de sensibilização para a importância do aleitamento materno.

De acordo com a chefe do Programa Nacional de Nutrição de Angola, Maria Futi Tati, “nenhuma das 18 províncias angolanas está em normalidade nutricional”, ou seja, “todas as províncias estão com problemas sérios de desnutrição”, demonstrando que “o país está mal”.

“O grau de desnutrição, principalmente a crónica, a nível do país é muito sério. Temos que trabalhar bastante, estamos com uma desnutrição crónica com uma taxa de 38% e o padrão preconizado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) é de menos de 20%”, disse na altura Maria Futi Tati.

Deixe o seu comentário
Recomendamos

Notícias relacionadas