Galo dá duas bicadas na águia

Benfica 1-2 Gil Vicente: Galo dá duas bicadas na águia e crise agudiza-se na Luz. Os encarnados já estão a 12 pontos do FC Porto

Benfica vs Gil Vicente
Autor: Horta e Costa | 2 de Fevereiro de 2022

O Benfica somou a quarta derrota da temporada na I Liga (a terceira no Estádio da Luz) ao perder por 2-1 na receção ao Gil Vicente, em partida da Jornada 20, e já são agora 12 os pontos de desvantagem para o líder FC Porto.

Samuel Lino, na primeira parte, e Aburjania, na segunda, apontaram os golos que ditaram a surpresa na Luz para um conjunto de Barcelos que se afirma ainda mais como a equipa sensação da prova, bem firme no 5.º lugar da classificação. Gonçalo Ramos ainda reduziu, já perto do minuto 90, para as águias, mas não evitou a derrota. No fim, os jogadores foram brindados com um enorme coro de assobios por parte dos adeptos.

Golo não validado ás águias a abrir e quem marca é o Gil Vicente

O Benfica entrou em campo com várias novidades em relação à equipa no sábado perdeu a final da Taça da Liga para o rival Sporting e até colocou bem cedo a bola no fundo das redes. Na sequência de um livre descaído para a direita, Grimaldo cruzou e o regressado Otamendi desviou para o fundo da baliza, só que o árbitro da partida, Artur Soares Dias, já tinha apitado para assinalar uma falta de Jan Vertonghen sobre um adversário no momento do cruzamento.

Não contou, o encontro prosseguiu e acabou por ser o Gil Vicente a ganhar vantagem, por intermédio de uma das grandes revelações da temporada. Samuel Lino arrancou em direção à grande área encarnada sem ninguém lhe fizesse oposição, fez o que quis de Vertonghen e rematou rasteiro para o poste mais próximo, surpreendendo Odysseas Vlachodimos e inaugurando o marcador. Foi o nono golo da época do jovem avançado brasileiro de 22 anos.

Reação em crescendo e empate à vista por duas vezes, mas intervalo chega com o Gil na frente

Em desvantagem, o Benfica instalou-se no meio campo contrário e, mesmo sem mostrar muita imaginação, aos poucos foi impondo maior velocidade e as ocasiões de golo começaram a surgir. Numa delas, aos 22 minutos, lançado em profundidade por um excelente passe de para as costas da defesa gilista, Gonçalo Ramos ficou na cara do guarda-redes contrário, Andrew, tocou a bola com muita classe à saída deste, mas o esférico saiu centímetros ao lado.

Alguns minutos mais tarde, foi Verthongen, talvez a querer redimir-se da má abordagem ao lance no golo do Gil, a pegar na bola bem atrás e a cavalgar muitos metros até se isolar na cara de Andrew, vendo contudo este negar-lhe o golo com uma fantástica defesa. O Gil Vicente, contudo, também espreitava qualquer oportunidade para sair ao contra-ataque e perto do intervalo só uma boa mancha de Vlachodimos impediu que a turma de Barcelos dilatasse a vantagem. O primeiro tempo chegou mesmo ao fim com os visitantes a vencerem por 1-0.

Benfica mexe ao intervalo, mas é o Gil Vicente que volta a marcar

Nélson Veríssimo mexeu na equipa ao intervalo e lançou para o início da segunda parte dois habituais titulares. Rafa, acabado de recuperar de uma infeção com COVID-19, entrou para o lugar de Diogo Gonçalves e João Mário substitui Meité. Porém, a primeira equipa a criar perigo na segunda parte foi mesmo o Gil Vicente. com remates de Samuel Lino, primeiro, e Leautey, depois. Dois jogadores que continuavam a ser uma autêntica dor de cabeça para o setor mais recuado das águias.

Só aos 55 minutos o Benfica conseguiu visar com algum perigo a baliza gilista. Primeiro num cabeceamento de Verthongen e depois noutro de Paulo Bernardo. O Gil Vicente, contudo, era a equipa mais perigosa em campo neste momento e viria a chegar mesmo ao segundo golo. Vlachodimos ainda adiou esse segundo golo por breves instantes, com uma excelente defesa perante isolado na sua cara mas, logo a seguir, no seguimento de um canto, surgiu o 2-, com Aburjania a desviar de cabeça para o fundo das redes.

Muitos assobios, cânticos de protesto e golo de Gonçalo Ramos chega tarde

O segundo golo do Gil Vicente originou um enorme coro de assobios por parte dos até aí já não muito satisfeitos adeptos da casa. E, se a intranquilidade já era evidente entre os jogadores do Benfica, a ansiedade cresceu ainda mais, perante os apupos dos adeptos e o aproximar do apito final.

Sob cânticos de “vocês são uma vergonha” e insultos aos jogadores vindos da bancada, os jogadores encarnados mostravam-ser incapazes de criar lances de real perigo. Conseguiram, ainda assim, reduzir a desvantagem aos 88 minutos. Rafa cruzou da esquerda e Gonçalo Ramos tocou, de cabeça, para o 1-2. Já nos descontos, Paulo Bernardo chegou tarde a um desvio e o Benfica acabou mesmo derrotado. Artur Soares Dias apitou para o final da partida e das bancadas veio uma enorme assobiadela, perante a quarta derrota do Benfica nos últimos oito jogos que disputou no conjunto de todas as competições.

Leia também