… ]

">
A Ginjinha e a ASAE - MTV24

A Ginjinha e a ASAE

Os deputados deficientes mentais do PS querem tomar uma ginjinha e terem ali, à mão, uma casa de banho privativa Quem passa pelas imediações do… [ ]

Os deputados deficientes mentais do PS querem tomar uma ginjinha e terem ali, à mão, uma casa de banho privativa


Quem passa pelas imediações do Rossio é provável que veja pessoas a fazerem fila numa esquina à espera de vez para provar a famosa ginjinha servida num espaço (bar), exíguo com pouco mais de 8 metros quadrados.
A Ginjinha do Largo de S. Domingos, propriedade de um galego de nome Espinheira, foi o primeiro estabelecimento em Lisboa (1840) a comercializar a bebida que lhe dá o nome e que rapidamente se transformou num ex-líbris da cidade.
Por conselho de um frade da Igreja de Santo António, o senhor Espinheira fez a experiência de deixar fermentar as ginjas dentro de aguardente, juntando-lhe açúcar, água e canela. O êxito foi imediato, quer por ser doce, quer por ser barato, e a ginjinha transformou-se na bebida típica de Lisboa.
A Ginjinha do Rossio foi encerrada em 15 de Novembro de 2007. Doze dias depois, a gerência reabriu o estabelecimento e nesse mesmo dia a proprietária foi detida por desobediência e por não ter solicitado nova inspecção.
Poucas semanas depois reabriu e tem continuado a fazer as delícias dos apreciadores desta bebida.
Passados 10 anos a “Ginjinha do Rossio” volta a ter problemas, desta vez, com a “ASAE”. Imaginem que os senhores exigem que o exíguo e secular estabelecimento tenha uma casa de banho para deficientes!!!
Tentei entender a exigência e encontrei uma explicação: Os deputados deficientes mentais do PS querem tomar uma ginjinha e terem ali, à mão, uma casa de banho privativa.
Vítor Santos

Deixe o seu comentário
Publicado por Vítor Santos em 14 de Fevereiro de 2018 | 19:03

Siga-nos através das redes sociais

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE