Grupo Ganaus: um exemplo a seguir em Rio Maior

Publicado por Mtv24 Redação em 3 de Junho de 2020 | 21:54

Há quem não baixe os braços e troque os lamentos por iniciativa, pela luta e determinação. Foi o caso do Paulo e da Marta. Um exemplo a seguir em Rio Maior

A pandemia roubou margem aos intervalos da vida, aqueles durante os quais nos dávamos ao luxo de desligar de tudo para irmos a um restaurante, café, teatro cinema… agora somos todos soldados de um exército que se vai armando o melhor que sabe, uns mais conscientes do que outros.

O vírus da China é agora um vírus económico, e ainda a procissão vai no adro. E onde ficam os homens e mulheres de caráter, de força e coragem? Ficam com os amigos que não deixam cair os mais aflitos, nas famílias que funcionam como redes de apoio, nos patrões que conseguem salvar as empresas.

Estes homens e mulheres ficam nos gestos mais básicos e simples, sem margem para momentos lúdicos nos intervalos da vida, porque agora não existe margem para desbaratar nada, nem afetos, nem dinheiro.

Os portugueses habituaram-se a ouvir os queixumes de empregados e empregadores; muitas pessoas perderam os empregos por causa da pandemia e muito poucas conseguiram ver a oportunidade para mudar de profissão ou adaptarem-se à nova realidade.

Há quem não baixe os braços e troque os lamentos por iniciativa, pela luta e determinação. Foi o caso do Paulo e da Marta. Marido e mulher, dois jovens empresários que exploram quatro estabelecimentos ligados à indústria hoteleira (Grupo Ganaus). O Covid-19 fechou-lhes quase todas as portas. Quase porque a venda de pão num dos estabelecimentos lhes permitiu alguma receita e dar ocupação a alguns dos seus colaboradores.

O Paulo e Marta conseguiram manter uma equipa de 10 pessoas unida. Não pediram apoios ao Governo; dispensaram a “Layoff” porque acreditam que é possível sobreviver, unidos, neste período difícil. A Marta deu asas à sua imaginação e desenvolveu o gosto de uma arte que praticava como hobby. “Há alguns anos que faço bijuteria criando algumas peças para oferecer e algumas vendas pontuais. Mas foi no início do estado de emergência que comecei a criar algumas peças com o objetivo de tentar ultrapassar esta crise e para me manter mais ocupada”, disse Marta ao Notícias24.

Apos o encerramento dos estabelecimentos do Grupo Ganaus devido ao período de confinamento, Paulo e Marta decidiram não dispensarem os seus colaboradores e trabalharam para os motivar a enfrentar a nova realidade porque, na opinião de Marta, “eles (colaboradores), são uma peça importante para a organização e remodelação do Grupo Ganaus”.

O “Café Ganaus”, junto ao “Pavilhão Multiusos”, em Rio Maior – passou também a ter um espaço próprio para exposição e venda da bijuteria artesanal da Marta. E o sucesso já tem nome: “MARIDEIAS”. “MarIdeias, surgiu da junção de ideias da Marta. Como ficou no ouvido, decidi por este nome”, disse Marta ao Notícias24.

A nossa artesã, revela ainda que, para além do fabrico e comercialização de bijuteria, tenciona criar uma loja online para venda de roupa personalizada com marca própria. E sobre as suas “joias”: “as pessoas têm mostrado bastante interesse principalmente pela qualidade/preço, sendo a maior parte, peças de criação única”.

Para já, os nossos leitores podem visitar no Facebook a página da “MARIDEIAS” aqui.

Deixe o seu comentário

Siga-nos através das redes sociais

últimas
Notícias Relacionadas
Leia também