Joe Berardo detido por burla qualificada

Joe Berardo detido por burla qualificada no âmbito da investigação aos créditos ruinosos da CGD. Foi também detido o advogado André Luiz Gomes

Partilhe esta notícia

Autor: Horta e Costa | 30 de Junho de 2021

Joe Berardo foi detido no âmbito de uma investigação aos créditos ruinosos feitos na Caixa Geral de Depósitos (CGD). Em causa estão crimes de burla qualificada, fraude fiscal e branqueamento de capitais. Fonte da Polícia Judiciária (PJ) confirmou à SIC que foi também detido o advogado do empresário, André Luiz Gomes.

Os dois detidos deverão ser ouvidos esta quarta-feira pelo juiz Carlos Alexandre para primeiro interrogatório judicial.

A PJ e o Ministério Público levaram a cabo uma investigação aos créditos ruinosos da CGD, tendo sido realizadas 51 buscas em Lisboa, Funchal e Sesimbra: 22 buscas domiciliárias, 25 não domiciliárias, três buscas numa instituição bancária e uma num escritório de advocacia. Na operação participam 180 elementos da PJ, autoridade tributária, Ministério Público e juízes de instrução criminal.

“A investigação iniciada em 2016, identificou procedimentos internos em processos de concessão, reestruturação, acompanhamento e recuperação de crédito, contrários às boas práticas bancárias e que podem configurar prática de crime”, avança a PJ em comunicado.

A investigação centrou-se num grupo económico que, “entre 2006 e 2009, contratou quatro operações de financiamento com a CGD, no valor de cerca de 439 milhões de euros”.

“Atualmente este grupo económico causou um prejuízo de quase mil milhões de Euros à CGD, ao NB [Novo Banco] e ao BCP, tendo sido identificados atos passiveis de responsabilidade criminal e de dissipação de património”, pode ainda ler-se na nota.

Os empréstimos contraídos por Joe Berardo em 2006 tornaram-se créditos mal parados, deixando o banco público exposto à Fundação Berardo em cerca de 268 milhões de euros – valor que foi revelado em 2015. Também a forma como o empresário criou um esquema para escapar aos credores – através de empresas-veículos – foi investigado pela PJ e pelo Ministério Público.

O que terá levado à detenção de Joe Berardo e do advogado André Luiz Gomes?

A investigação defende ainda que os créditos ruinosos à CGD terão sido conseguidos devido à relação entre Joe Berardo e o antigo primeiro-ministro José Sócrates. A relação foi também estabelecida pelo Ministério Público com base no acordo celebrado com o Governo para que 862 obras de arte da Fundação Berardo fosse expostas no Centro Cultural de Belém, durante 10 anos.

CGD penhora um terço da pensão de Joe Berardo. Por outro lado, a Fundação Joe Berardo passa de lucro de 102 M€ para prejuízo de 245 M€ em 10 anos.

“Qual dívida? A verdade toda vem ao de cima”

Em julho de 2020, durante a apresentação do “Museu Berardo Estremoz”, o empresário madeirense foi confrontado com a dívida de mais de 50 milhões de euros à CGD. Joe Berardo recusou ter qualquer dívida e afirmou que a verdade pode tardar, mas há de vir “ao de cima”.

Partilhe esta notícia

Leia também