Jorge Jesus ameaçou sair para FC Porto

Publicado por Horta e Costa em 15 de Fevereiro de 2019 | 23:25

Bruno de Carvalho diz que Jorge Jesus ameaçou sair para o FC Porto de não renovasse. “Sou descrente total em Jorge Jesus”

Bruno de Carvalho

Bruno de Carvalho pensou em despedir Jorge Jesus logo no primeiro ano do técnico em Alvalade. Em entrevista à TVI e TVI24, o antigo presidente do Sporting falou de alguns dos aspetos do seu livro, ‘Sem Filtro’, lançado esta sexta-feira. Sobre Jesus, disse não acreditar no treinador, que só não foi despedido no primeiro ano porque a indemnização era alta.

“Agora sou um crente em Jesus e um descrente total em Jorge Jesus. […] Eu tentava gerir o mau-estar [n.d.r.: entre jogadores e treinador] falando várias vezes, sendo o mais honesto. Quando Jorge Jesus me apresentou Evandro Mota [psicólogo], não percebi o que ele fazia, mas quando assisti à saída dele e o que aconteceu depois, passei a valorizar o trabalho dele, pois era fator de equilíbrio para o Jorge e entre o Jorge e os jogadores. O Jorge necessita desse equilíbrio. Fizemos uma primeira época fantástica [2015/16) e vamos ver ao nível da justiça se ainda vamos ser campeões ou não”, disse Bruno de Carvalho, aludindo aos aos processos que correm na justiça relacionados com o Benfica.

“Arrependo-me de não ter despedido Jorge Jesus logo no início em janeiro, que foi a altura em que comecei a ver que as coisas iam descambar e dar para o torto”, completou.

Sobre Jesus, disse que só o factor financeiro impediu o seu despedimento após o primeiro ano no Sporting.

“Não despedi Jorge Jesus porque falávamos de 9 milhões de euros. Recuperação? Já pouco haveria para fazer. Tentei aproximar jogadores e treinador. Também aconteceu [os jogadores dizerem que não seriam campeões com Jorge Jesus]”, comentou.

O antigo presidente dos ‘leões’ confidenciou que o técnico obrigou-o a renovar o contrato, ameaçando sair para o FC Porto.

“Quinze minutos antes do jogo com o SC Braga, Jorge Jesus veio falar comigo que tinha de renovar. Estávamos a lutar pelo título. Não o consegui demover, fiz-lhe o contrato. Quinze minutos antes do jogo, disse-me: ou renova ou vou-me embora para o FC Porto. Nessa altura ainda não tínhamos contactos com o FC Porto, e era pena, mas não valia a pena perguntar se era verdade ou não […] As pessoas podem tirar as ilações do que significa um pedido destes, quinze minutos antes de irmos jogar um jogo que podia valer o título. Não é agradável, como devem perceber”, referiu Bruno de Carvalho.

Ainda sobre a sua relação com Jesus, Bruno de Carvalho diz lamentar não ter sido campeão de Portugal com o técnico no Sporting.

“Eu nunca fui treinador do Sporting, mas gostava de ter tido um treinador que me desse a alegria de ser campeão, a mim e a três milhões e meio de sportinguistas. Não podemos à segunda-feira querer o primeiro lugar e à terça o segundo. O Sporting faz um investimento de 100 milhões para ser campeão e chegar à final da Liga Europa”, sublinhou.

Na mesma entrevista, Bruno de Carvalho recusou a ideia de ter causado instabilidade no plantel do Sporting, com o post que publicou na sua página pessoa no Facebook onde criticou, de forma dura, a atuação da equipa e de alguns jogadores na derrota por 2-0 com o Atlético Madrid.

“Falar sobre o desempenho da equipa é uma prática comum de todos os presidente. Já vi inúmeros presidentes fazerem as mesmas afirmações. Já vi um presidente do Sporting dizer que o plantel não tem qualidade nenhuma. Só isto é pior que o post que fiz depois de Madrid. […] O post de Madrid resultou em seis vitórias e uma mudança de Jorge Jesus, a colocar-se ao lado dos jogadores. Aliás, numa mensagem que mandei aos jogadores disse que se fosse preciso zangarem-se comigo para ganharmos, então que o fizessem. […] Depois disso aconteceu um jogo desastroso com o Benfica, em que o Rui Patrício salva a honra do convento, e um jogo inacreditável na Madeira. Foi isso “, frisou.

Deixe o seu comentário

Siga-nos através das redes sociais

últimas
Notícias Relacionadas
Leia também