Luís Montenegro é o novo líder do PSD

O antigo líder parlamentar venceu as eleições para a presidência do PSD, batendo Jorge Moreira da Silva. Será o 19º líder dos sociais-democratas

Luís Montenegro
Autor: Horta e Costa | 28 de Maio de 2022

Com apenas 8.708 votos por apurar, a diferença entre Luís Montenegro e Jorge Moreira da Silva já é superior a 10 mil votos, ou seja, Montenegro é o novo líder do PSD.

Luís Montenegro chegou a deputado com apenas 29 anos, era Durão Barroso presidente do PSD, depois de ter passado pela Juventude Social Democrata e sido vereador da Câmara Municipal de Espinho, a cidade onde cresceu. Licenciou-se em Direito pela Universidade Católica, mas foi sempre a política que mais o puxou.

Ganhou preponderância política com Pedro Passos Coelho, ao assumir a liderança do grupo parlamentar após as eleições legislativas de 2011, ganhas pelo PSD. Em janeiro de 2020, desafiou Rui Rio mas perdeu contra o atual líder que arrebatou 53,2% dos votos nas diretas.

Nas declarações que prestou às televisões após votar, pelas 16h00, Luís Montenegro prometeu um PSD “mais coeso e mais unido”, que “vai conseguir reencontrar-se com os portugueses, conquistando a sua confiança ao longo dos próximos anos.

“Vamos ter um PSD naturalmente diferente, com uma nova fase, no início de uma legislatura com maioria absoluta, em que podemos programar as coisas para quatro anos, com vista a disputarmos as legislativas em 2026. Será certamente um partido diferente, renovado, rejuvenescido, mais aberto, com uma intenção muito clara de ir à sociedade atrair os melhores para dentro do PSD“, afirmou.

Questionado sobre o facto de não ser deputado, não podendo, por isso, confrontar diretamente o Governo no Parlamento, respondeu que vê isso “como uma vantagem”. “Em primeiro lugar porque estarei no Parlamento muitas vezes junto dos senhores deputados e jornalistas, em vários momentos em que o Parlamento o propícia.

A segunda razão é que vai-me permitir andar pelo país, de terra em terra, a fazer aquilo que o PSD está habituado a fazer, que é ser um partido próximo das pessoas, próximo das instituições, próximo das autarquias, próximo das empresas, próximo da realidade quotidiana dos cidadãos”, disse Luís Montenegro.

O Conselho Nacional do PSD anunciou a 15 de março a convocação de eleições diretas, depois de o partido ter conseguido apenas 27,7% dos votos nas legislativas de 30 de janeiro sob a liderança de Rui Rio, com o PS a chegar à maioria absoluta. O antigo presidente da Câmara do Porto ocupava a presidência desde fevereiro de 2018.

Leia também