Máscaras: 9 milhões de euros para ex-candidato PS

Publicado por Vítor Santos em 7 de Maio de 2020 | 16:29

Contrato de 9 milhões de euros do ex-candidato PS à Câmara de Cascais mostra que 1 milhão de máscaras foram fabricadas na cidade onde tudo começou

Depois de uma semana de polémica com as adjudicações de milhões de euros em material de proteção individual sem que houvesse contratos publicados, o Governo – tal como prometido – começou a disponibilizar os documentos de suporte em falta. Um dos casos mais falados foi a adjudicação de nove milhões de euros que a Direção Geral de Saúde (DGS) fez à Quilaban, a empresa de João Cordeiro, ex presidente da Associação Nacional de Farmácias e ex-candidato do PS à Câmara de Cascais.

O documento mostra que a encomenda de €9.030.000 refere-se a um milhão de máscaras cirúrgicas tipo II (a 54 cêntimos cada) e a três milhões de máscaras respiradores FFP2 (a €2,83 cada). Estas últimas foram feitas em Anqing pela empresa Anqing Hualei textile material Co., Ltd.

As máscaras cirúrgicas tipo II (um milhão de exemplares), que são as mais populares e vendidas no mercado para o grande público, foram fabricadas em Wuhan, a cidade onde começou o surto do novo coronavírus. O fabricante é a Raytex.

Num artigo da SÁBADO desta semana, já nas bancas, João Cordeiro fala destes contratos milionários obtidos com o Estado, embora nunca refira a proveniência do material.

Outro contrato milionário do Estado foi com a Luz Saúde (através da subsidiária GLSMED Trade). O grupo privado de saúde, que explora por exemplo o Hospital da Luz, em Lisboa, é detido por acionistas chineses (Fosun). O material no valor de 13,8 milhões de euros é composto por 20 milhões de máscaras cirúrgicas (49 cêntimos cada) e 400 mil testes (€10 cada). Todo o material foi feito pela própria Fosun, em Xangai, como se lê no documento. O mesmo acontece com outros contratos milionários do Estado com o grupo Luz Saúde.

Algumas adjudicações ainda carecem de documentação, como a de 4,8 milhões de euros à FHC Farmacêutica, ou a de 7,7 milhões de euros novamente à FHC Farmacêutica.

Deixe o seu comentário

Siga-nos através das redes sociais

últimas
Notícias Relacionadas
Leia também