Mulher morre depois de ser ignorada ao pedir ajuda

Mulher morre depois de ser ignorada por um operador da linha de emergência. A vítima de 22 anos ligou para o serviço de emergência de Estrasburgo mas foi ignorada A gravação de uma chamada de emergência está a deixar a França indignada, depois de um operador da linha ignorar o pedido de ajuda de uma […]

Autor: Mtv notícias | Lusa | 9 de Maio de 2018

Mulher morre depois de ser ignorada por um operador da linha de emergência. A vítima de 22 anos ligou para o serviço de emergência de Estrasburgo mas foi ignorada


A gravação de uma chamada de emergência está a deixar a França indignada, depois de um operador da linha ignorar o pedido de ajuda de uma mulher que morreu pouco tempo depois da chamada.

A vítima de 22 anos ligou para o serviço de emergência de Estrasburgo quando começou a sentir algumas dores fortes no estômago. “Vou morrer”, disse a mulher, ao que o operador lhe responde, “de certeza que morrerás um dia, tal como toda a gente”.

Durante a chamada, a vítima tem dificuldade em descrever que tipo de dor está a sentir. Perante essa situação, o funcionário chega mesmo a ameaçar desligar a chamada, caso a mulher não explicasse o que sentia.

Depois de a jovem dizer que estava a sentir muitas dores, o funcionário dá-lhe o número da linha SOS Médecins – um serviço de emergência médica ao domicílio – dizendo-lhe para chamar um médico até sua casa.

A mulher continuou a implorar por ajuda: “Ajude-me, estou muito doente”. “Não posso ajudá-la sem saber o que está a sentir”, referiu o operador.

Sem ajuda, nem nenhuma ambulância a caminho a vítima acabou por ligar para a linha SOS Médecins, que a levou para o hospital cinco horas depois.

Segundo o jornal Le Monde, a mulher terá sofrido um AVC e acabou por morrer poucas horas depois com um choque hemorrágico que terá provocado a “falência múltipla dos órgãos”.

O caso remonta a dezembro, mas só agora é que foi divulgado, com a gravação da chamada a tornar-se pública através da sua publicação na internet. Na chamada é ainda possível ouvir o operador a humilhar a jovem juntamente com outro colega.

Os hospitais universitários de Estrasburgo já suspenderam provisoriamente o operador e o caso está a ser investigado.

Deixe o seu comentário