abusos igreja, , , , " />
últimas

Papa afasta dois cardeais após casos de pedofilia

Publicado por Vítor Santos em 12 de Dezembro de 2018 | 20:36

Papa Francisco afasta dois cardeais do seu círculo de conselheiros após casos de pedofilia, anunciou esta quarta-feira o Vaticano

Papa Francisco

Siga-nos através do Facebook

O Papa afastou do seu círculo de conselheiros o cardeal George Pell, investigado na Austrália por abuso sexual de crianças, e o cardeal Francisco Errázuriz, suspeito de encobrir atos pedófilos de um eclesiástico no Chile, anunciou esta quarta-feira o Vaticano.

Os dois altos representantes da Igreja Católica integravam o Conselho de Cardeais, composto por nove conselheiros em representação de todos os continentes, também conhecido pela designação “C9”, e cuja missão é ajudar o Papa Francisco a reformar a administração da Santa Sé.

O Papa escreveu, em finais de outubro, aos cardeais a dispensá-los do “C9″, agradecendo-lhes contudo pelo trabalho prestado durante cinco anos” naquele conselho consultivo, revelou o diretor do gabinete de imprensa do Vaticano, Greg Burke.

A nomeação dos novos membros substitutos não tem ainda data prevista, adianta uma nota de imprensa.

O Papa havia já dispensado temporariamente, há meses, o cardeal Pell para que este pudesse organizar a sia defesa diante da justiça australiana. O cardeal não voltou mais a Roma.

Pell, 77 anos, permanece contudo oficialmente à frente do Secretariado para a Economia instituído pelo Papa Francisco para restabelecer a ordem nas Finanças da Santa Sé.

Desejoso de respeitar a presunção de inocência, o Papa não cedeu aos apelos de alguns conselheiros para que nomeasse um novo responsável pelas finanças do Vaticano, apesar de a situação continuar complicada, revelou esta semana um alto prelado da Curia.

O cardeal chileno Francisco Javier Errázuriz, suspeito de ter ajudado a abafar no Chile um escândalo de pedofilia envolvendo um padre, perdeu igualmente o seu lugar no grupo restrito do “C9”.

O cardeal terá aconselhado mal o Papa Francisco na defesa errónea de um bispo chileno envolvido num escândalo de pedofilia, o que, segundo fontes da Igreja, transformou num fisaco a viagem do Papa ao Chile, em janeiro de 2018.

Após um encontro no Vaticano com o Papa Francisco, o cardeal Errazuzir avançou, ele próprio, em meados de novembro, que se iria retirar do “C9”, mas justificou, em entrevista a um jornal chileno, que “não se tratava de uma demissão” mas do termo do seu mandato.

Entretanto, um outro cardeal, o congolês Laurent Monsengwo, figura central da Igreja Católica africana e que, desde há muitos anos, desempenha um papel central na vida religiosa e polítca do seu país, vai abandonar o “C9”, após renunciar ao seu cargo em Kinshasa, aos 79 anos.

O Conselho de Cardeais foi criado em março de 2013, um mês após a eleição do Papa Francisco, para reformar, mediante as sugestões recebidas, a administração central da Igreja, muito criticada pela sua opacidade e por escândalos.

Os membros do Conselho de Cardeias têm um mandato de cinco anos.


Deixe o seu comentário

Leia também

Notícias relacionadas
Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE