PJ impede ação terrorista e detém suspeito

PJ diz que a investigação que levou à detenção foi desencadeada por suspeitas de atentado dirigido a estudantes da Universidade de Lisboa

Polícia Judiciária
Autor: Horta e Costa | 10 de Fevereiro de 2022

Um jovem de 18 anos foi hoje detido pela Polícia Judiciária, que diz ter impedido assim uma “ação terrorista” e ter apreendido várias armas proibidas, anunciou a instituição.

Em comunicado com o título “Impedida ação terrorista”, a PJ diz que a investigação que levou à detenção foi desencadeada “por suspeitas de atentado dirigido a estudantes universitários da Universidade de Lisboa”.

Através da Unidade Nacional Contraterrorismo (UNCT), a PJ encetou hoje a operação, cumprindo mandados de busca domiciliária.

“Face à gravidade das suspeitas, foi atribuída a máxima prioridade à investigação, a qual permitiria, no dia hoje, às primeiras horas do dia, interromper a atividade criminosa em curso”, detalha.

Segundo a PJ, foram apreendidos “vastos elementos de prova, que confirmariam as suspeitas iniciais”.

Além de armas proibidas foram apreendidos outros artigos, “suscetíveis de serem usados na prática de crimes violentos” e vasta documentação, “além um plano escrito com os detalhes da ação criminal a desencadear”.

O arguido, detido em flagrante pela posse das armas, está também indiciado pela prática do crime de terrorismo. Será na sexta-feira presente a primeiro interrogatório judicial.

Atualização

O jovem em questão é oriundo de Fátima e encontrava-se a residir no bairro dos Olivais, em Lisboa, tratando-se de um estudante introvertido e com perturbações que visualizava com frequência vídeos de tiroteios como os que ocorrem nos EUA. Ao que tem sido apurado, o atentado não teria motivações religiosas ou ideológicas.

Leia também