Portugal – Espanha: Resultado melhor que exibição

Portugal ‘saca’ um ponto a Espanha em duelo ibérico. Resultado melhor que exibição. Há quase 85 anos que Portugal não vence em casa da Espanha

Espanha vs Portugal
Autor: Horta e Costa | 2 de Junho de 2022

Portugal saiu de Espanha com um ponto, na 1.ª jornada do Grupo 2 da Liga das Nações A de futebol.  Num duelo entre os favoritos a seguir para a final-four neste grupo, os lusos podem dar-se por satisfeitos com o ponto conquistado, num jogo onde a Espanha foi melhor.

Portugal voltou a não ser feliz em solo espanhol, onde só venceu uma vez à seleção espanhola, em 17 encontros. Foi há quase 85 anos, em 28 de novembro de 1937, em Vigo, onde Portugal venceu por 2-1, com tentos de Pinga e Valadas, mas o jogo nem é reconhecido pela FIFA, devido à Guerra Civil espanhola (entre 1936 e 1939).

A verdade é que Portugal também não perde um jogo em Espanha há cerca de 64 anos, mais precisamente desde 14 de abril de 1958, quando ‘Dom’ Alfredo Di Stéfano, avançado nascido em Buenos Aires, em 1926, e falecido em 2014, aos 88 anos, selou aquele que ainda é o derradeiro triunfo, e 11.º, da Espanha na receção a Portugal.

Fernando Santos já tinha avisado que iria fazer uma gestão do grupo, já que Portugal irá fazer quatro jogos em 11 dias, num calendário surreal para esta altura da época. E surpreendeu, ao deixar Cristiano Ronaldo no banco de Portugal, algo que não acontecia há cinco anos.

Com Rafael Leão titular pela primeira vez, numa frente de ataque que tinha ainda Bernardo Silva e André Silva, os lusos tiveram muitas dificuldades, principalmente no primeiro tempo, para acertar com as marcações. Sarabia juntava-se ao trio de médios formado por Gavi, Busquets e Soler, Ferrán Torres dava largura e Morata prendia os centrais lusos, Pepe e Danilo.

Uma escorregadela de Gavi aos três minutos impediu o prodigioso médio de 18 anos de fazer o primeiro, logo aos três minutos.

Só aos 18 minutos se viu o primeiro sinal de Portugal no ataque. Rafael Leão desceu pela esquerda, entrou na área, mas atirou por cima. Aos 25 voltou a fazer a mesma jogada mas desta vez centrou com força, a bola foi ter com João Cancelo e daí nasceu… o golo da Espanha. O lateral uso tentou jogar bonito com um toque de calcanhar para terra de ninguém, Gavi ganhou e saiu em velocidade, meteu na hora certa em Sarabia que deu para Morata encostar para golo na área. Grande lance de contra-ataque, definido sempre na hora certa.

Quatro minutos depois Diogo Costa teria de se aplicar para negar o 2-0 a Soler, numa defesa com os pés (o médio falhou na recarga, atirando por cima). Espanha a mandar no jogo, Portugal em dificuldades, principalmente para ter bola.

O segundo sinal de perigo dos lusos caiu nos pés de André Silva aos 35 minutos, após bom passe de Otávio mas o avançado, após rodar sobre Pau Torres, atirou ao lado.

Empate ‘desenterrado’ na Horta do Ricardo

Fernando Santos trocou o amarelado João Moutinho por Rúben Neves ao intervalo e Portugal cresceu no jogo. Aos 59 minutos, Rafael Leão teve nova oportunidade para marcar. André Silva recebeu sozinho em profundidade, esperou pelo Melhor Jogador da Série A e deu-lhe a bola na hora certa. Leão tirou Llorente do caminho e rematou para golo mas a bola bateu nos pés do guardião Unai Simon e saiu por cima. Pedia-se uma finalização de primeira.

Foi o momento aproveitado por Fernando Santos para lançar Cristiano Ronaldo e Gonçalo Guedes nos lugares de Otávio e André Silva.

A verdade é que Portugal ganhou mais homens com cariz ofensivo mas perdeu capacidade de luta. E isso ‘matou’ o jogo de Portugal já que a Espanha passou a ter mais facilidade em sair ou reter o esférico, numa com os lusos sem capacidade para a recuperar.

Aos 65, Morata foi lançado na área por Sarabia e tentou uma ‘picadinha’ mas a bola saiu ao lado. Aos 74 é o próprio Sarabia a finalizar na área, mas às malhas laterais, após fantástica jogada ofensiva.

Já com Matheus Nunes no lugar de Bruno Fernandes, Portugal vai empatar aos 82 minutos, numa altura em que até era a Espanha quem mandava no jogo. Combinação simples entre Gonçalo Guedes e Cancelo na direita, o lateral centrou para a área onde apareceu Ricardo Horta, sozinho, a desviar para o 1-1.

A Espanha podia ter passado para a frente novamente aos 87 minutos mas Jordi Alba falhou um golo cantado. Sarabia rematou colocado, Diogo Costa socou para a frente onde apareceu o lateral esquerdo, sozinho, atirar para fora. Que perdida incrível!

Leia também