Portugal falha título europeu de Sub-21

Autor: Horta e Costa | 6 de Junho de 2021

Ainda não foi desta. Portugal perdeu por 1-0 com a Alemanha e falhou a conquista do título europeu de sub-21. Em Liubliana, Eslovénia, no estádio Stožice, o único golo do jogo foi marcado por Nmecha  aos 49 minutos. Esta é a terceira derrota de Portugal em finais de europeus de Sub-21, depois de perder com a Itália em 1994 e com a Suécia em 2015.  Esta foi a única derrota dos pupilos de Rui Jorge, que tinham vencido todos os jogos da fase final até aqui (cinco).

Este é o terceiro título europeu da Alemanha nos sub-21.

As duas seleções tiveram um percurso diferente até chegar a final. Portugal venceu todos os encontros que disputou neste inédito Euro. Na primeira fase, disputada entre 24 e 31 de março, os comandados de Rui Jorge bateram a Suíça (3-0), a Croácia (1-0) e a Inglaterra (2-0). Nos quartos de final, vitória por 5-3 diante da Itália, após prolongamento e 1-0 à Espanha nas meias-finais.

Já equipa de Stefan Kuntz venceu a Hungria (3-0) e empatou com Roménia (0-0) e Países Baixos (1-1), oponente que reencontrou nas ‘meias’ (2-1), após afastar a Dinamarca (6-5 nos penáltis, após 2-2) nos quartos de final.

Para este jogo, o técnico Rui Jorge fez duas mexidas, lançando o médio-defensivo Florentino Luís no posto de Gedson Fernandes e Tiago Tomás no lugar de Rafael Leão. O selecionador alemão repetiu o onze que venceu os Países Baixos, nas meias-finais.

Portugal tinha a história a seu favor, após vencer todos os três jogos frente aos alemães em fases finais de europeus de sub-21, mas numa final a história não ‘toca’ na bola. Nas duas finais anteriores, os lusos tinham perdido em 1994 contra a Itália (1-0) e de 2015 contra a Suécia nas grandes penalidades.

Era preciso contrariar o poderio físico dos germânicos, como Rui Jorge alertou na antevisão do jogo, mas Portugal sentiu inúmeras dificuldades neste aspeto. Perdeu a maior parte dos duelos e sofreu com o jogo mais duro dos alemães.

Portugal entrou bem no jogo, com duas jogadas de Diogo Dalot pela esquerda e um remate de Tiago Tomás que falhou o alvo por pouco.

Mas a primeira grande oportunidade de golo foi dos alemães, aos 15 minutos. Florentino Luís perdeu a bola à entrada da área lusa, Wirtz trabalhou bem e rematou forte, a bola desviou em Diogo Leite e bateu na barra. Diogo Costa afastou depois com uma palmada.

Era o melhor período da Alemanha no jogo, com a defesa lusa a passa por alguns calafrios. Aos 21 minutos, Baku descobriu espaço entre os centrais e o lateral Conté e serviu Nmecha para um remate que Diogo Costa defendeu para canto. Aos 29 minutos, novamente o guarda-redes português a brilhar, negando o golo a Maier num remate de fora da área.

Só perto do intervalo, Portugal voltaria a criar perigo, pela zona central. Aos 40, Dalot encontrou Fábio Vieira no meio, o criativo recebeu e rematou de pronto, para fora. No segundo dos três minutos de compensação do primeiro tempo, é Vitinha a ter a melhor oportunidade para Portugal. Contra-ataque conduzido por Dany Mota, que isolou o jogador luso. Vitinha até esteve bem num primeiro período a tirar um adversário do caminho, mas perdeu-se depois em fintas e não meteu a bola em Fábio Vieira que estava sozinho.

Rui Jorge trocou Dany Mota por Rafael Leão ao intervalo, mas foram os alemães a marcar logo no recomeço. Baku voltou a encontrar espaço entre Conté e os centrais, isolou Nmecha que tirou Diogo Costa do caminho e fez o primeiro.

A reação lusa saiu dos pés de Fábio Vieira, num chapéu longo que quase tinha sucesso, aos 59, e num desvio de Diogo Queirós no minuto seguinte, na pequena área que por pouco não dava golo.

Rui Jorge aproveitou para alargar a frente de ataque, lançando Francisco Conceição e Jota nos postos de Tiago Tomás e Vitinha. Aos 67, Francisco Conceição foi lançado por Rafael Leão, serviu Fábio Vieira na área, mas o remate do médio ofensivo bateu nas pernas de um defensor.

Com o crescimento de Portugal a nível ofensivo, o selecionador alemão deu mais poder defensivo à sua equipa, passando a jogar em contra-ataque. E aí podia ter ‘matado’ o jogo em mais que uma ocasião. Valeu a Portugal as grandes intervenções de Diogo Costa a travar os remates de Adeyemi aos 73 e 81 minutos, e Nmecha aos 75, em três lances de golo.

Nos minutos finais Rui Jorge arriscou tudo, trocando o lateral Abdou Conté pelo avançado Gonçalo Ramos para tentar o empate e atirar o jogo para prolongamento.

Mas não foi possível. Portugal não criou qualquer situação de golo e acabou derrotado, perdendo a sua terceira final em europeus de sub-21. Já a Alemanha conquistou o seu terceiro título nesta categoria.

Sharing is caring!

Leia também