PSD faz oposição a Moedas

PSD faz de oposição na Assembleia Municipal de Lisboa e contribui para chumbar proposta do executivo de Carlos Moedas

Carlos Moedas
Autor: Horta e Costa | 19 de Julho de 2022

Os deputados municipais do PSD contribuíram para chumbar, esta tarde, a proposta que previa vários aditamentos aos contratos-programa celebrados com a Lisboa Ocidental SRU – Sociedade de Reabilitação Urbana, que os vereadores da coligação “Novos Tempos”, liderada por Carlos Moedas – e da qual faz parte o próprio PSD –, tinham aprovado na reunião da autarquia na passada quinta-feira.

Na hora de votar a proposta, os deputados sociais-democratas optaram, para surpresa geral, pela abstenção, contribuindo decisivamente para chumbar o diploma que previa a redução do investimento no setor da habitação, até 2025, pela entidade agora liderada, por inerência, pela vereadora com o pelouro da habitação, Filipa Roseta.

O líder da bancada do PSD, Luís Newton – que é também presidente da Junta de Freguesia da Estrela e da concelhia social-democrata na capital – justificou o voto com o facto de “os compromissos estão assumidos e a Câmara Municipal de Lisboa terá que ser pessoa de bem [e concretizá-los]”, embora deixasse vincado que o atual modelo da Lisboa Ocidental SRU – Sociedade de Reabilitação Urbana “não é o que sufragamos, nem a vontade que os ‘Novos Tempos’ representam”.

A proposta foi rejeitada com os votos contra do Bloco de Esquerda, Chega, PCP, PEV, Livre e do presidente da Junta de Freguesia de Benfica, Ricardo Marques, e a abstenção dos deputados do PSD, PS, IL, PAN, e PPM. Apenas CDS, MPT e Aliança – partidos que também fazem parte da coligação “Novos Tempos” que levou Carlos Moedas à vitórias nas últimas Autárquicas – votaram a favor da proposta.

Leia também