Quem nos anda a roubar no preço dos combustíveis?

A carga fiscal é enorme para os trabalhadores, para os pensionistas, para as classes médias, para os que não podem fugir ao seu pagamento

Autor: MTV Redação | 27 de Julho de 2021

 O roubo do preço dos combustíveis é um regabofe sem controle, é ver quem rouba mais, é o exemplo de um povo que para além de não ter um governo que nos defenda dos privados famintos, ainda temos é um governo que nos ataca. É ver o vídeo e saber as causas dos preços.

Veja a opinião de dois dinossauros do jornalismo e chegamos à conclusão de que anda tudo a ir ao bolso dos portugueses.

Para Gomes Ferreira, estranhamente protetor do Governo, afirma que a culpa dos preços altos dos combustíveis é das gasolineiras, mas Sousa Tavares e outras entidades reguladoras, afirmam que o saque vem do governo e da carga fiscal, não descurando também as gasolineiras.

O governo já não sabe onde saquear o povo para sustentar tanta incompetência e tantos assaltos dos governos. Há todo um oceano de boys parasitas milionários para sustentar um outro oceano de empresas parasitas para beneficiar, e mais as próprias contas dos políticos para rechear que são outro gigantesco oceano.

Quando pesquisamos sobre quais os países com as mais elevadas cargas fiscais, Portugal aparece entre os primeiros, mas apenas não é o primeiro porque mais uma vez eles fintam a estatística. Portugal é o país com a mais elevada carga fiscal da Europa sobre as classes menos ricas, mas como é dos que menos penaliza as classes mais ricas, acaba por parecer no geral, que não estamos no topo. Mas pior que estar no topo, é sermos os que conseguem estar quase no topo, apesar dos baixos impostos, comparativamente aos outros países, nas classes mais altas.

 APETRO atribui preço elevado dos combustíveis à incorporação de combustíveis e impostos

Segundo a Associação Portuguesa de Empresas Petrolíferas (APETRO), a explicação para o aumento do preço está no sobre-custo da incorporação de biocombustível e sobretudo na carga fiscal. O governo decidiu travar os avanços, ou fingir que trava os aumentos do preço dos combustíveis, pela parte dos privados, mas como bem sabemos existe uma grande amizade entre o Governo e a GALP e outras grandes empresas do sector, portanto devemos desconfiar desta medida.

O Governo aprovou esta proposta de lei para fixar preços máximos na comercialização de combustíveis simples. Em conferência de imprensa, o ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, disse que este diploma, que abrange também as botijas de gás, irá agora ser enviado à Assembleia da República, salientando que a medida será temporal.

De acordo com a Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos, as gasolineiras aproveitaram a pandemia para aumentar as margens de comercialização.

Nos primeiros seis meses do ano, as margens de comercialização, que englobam custos e lucros, subiram 33,8% na gasolina e 20,7% no gasóleo.

De facto, em Portugal, a carga fiscal é enorme para os trabalhadores, para os pensionistas, para as classes médias, para os que não podem fugir ao seu pagamento.

Mas para o grande capital, os impostos são ‘residuais’. Repare-se, por exemplo, nos países nórdicos, onde a carga fiscal no PIB é maior, porque a injustiça fiscal é menor, os ricos pagam muito mais do que os de cá. E são países muito mais desenvolvidos e justos que o nosso.

Ou seja a nossa carga fiscal parece ser a mais leve mas essa aparência falsa é provocada pelo favorecimento que se dá aos mais ricos e pela sobrecarga nos mais pobres.

Opinião: Maria

Leia também