Sérgio Conceição fala sobre a derrota em Paços de Ferreira

Vi meio mundo escandalizado por não cumprimentar o treinador do Paços. Não sou hipócrita nem falso, diz Sério Conceição O FC Porto recebe este sábado o Boavista, depois da surpreendente derrota em Paços de Ferreira. Sérgio Conceição voltou a referir-se ao anti-jogo feito pela equipa pacense e ao facto de não ter cumprimentado o seu […]

Autor: Horta e Costa | 16 de Março de 2018

Vi meio mundo escandalizado por não cumprimentar o treinador do Paços. Não sou hipócrita nem falso, diz Sério Conceição


O FC Porto recebe este sábado o Boavista, depois da surpreendente derrota em Paços de Ferreira. Sérgio Conceição voltou a referir-se ao anti-jogo feito pela equipa pacense e ao facto de não ter cumprimentado o seu treinador, João Henriques.

“Meteram por aí uma conferência em que eu era treinador da Académica, em que fomos empatar a Alvalade. O  Leonardo Jardim era o treinador do Sporting na altura, e aquilo que passou cá para fora foi parte da conferência. O que se passou foi que a Académica defendeu muito bem e acabámos por levar um ponto de lá. Não houve de maneira nenhuma antijogo. Uma coisa é anti-jogo, outra coisa é interpretar e cumprir a estratégia desenhada. Já falámos das equipas que já jogaram contra o FC Porto. Disse sempre que cada treinador tem a sua estratégia montada para cada jogo. Fui treinador da Académica, do Olhanense, do Vitória, do SC Braga, com muito orgulho. Esse jogo em Alvalade está gravado. Contem os minutos jogados nesse jogo. Contem também os minutos jogados de um Olhanense-Benfica em que o Jorge Jesus veio dizer que houve anti-jogo na primeira parte. O anti-jogo que ele quis dizer, até porque por vezes tem algumas dificuldades na língua portuguesa – e eu estou a dizer isto porque sou muito amigo dele – foi que o Olhanense jogou com a equipa muito mais recuada. Não houve a palhaçada que houve em Paços de Ferreira”, começou por dizer o técnico portista em conferência de imprensa.

“Vi meio mundo escandalizado por não cumprimentar o treinador do Paços. Fiquei a perceber por que é que existem tantos adeptos do Paços de Ferreira. Não tenho nada contra o João Henriques. Vi-o foi a promover esse tipo de situações. O que percebi foi isso e não me senti com à vontade de o cumprimentar, não sou hipócrita, não sou falso. O anti-jogo pode-se fazer. Então uma pessoa que tem dificuldades pode ir roubar. Entende-se que pode defender com a equipa baixa, queimar algum tempo, isso é normal, também as minhas equipas pequenas já fizeram isso. Por que é que desculpamos mais isso do que outro treinador não se sentir à vontade para cumprimentar o outro?”, questionou.

Sobre o jogo com o Boavista: “Esperamos que seja tudo um pouco diferente, começando pelo tempo. O campo é diferente, com certeza as condições que teremos para jogar este jogo também, e todos os jogos têm a sua história.”

“Esperamos um adversários difícil e não estamos preparados. Tivemos uma semana para preparar este jogo e com certeza vamos dar uma boa resposta e aproveito para agradecer e dar uma palavra aos sócios e aos adeptos do FC Porto. É uma prova de grande empatia e de uma acreditar grande dos adeptos”, salientou.

Leia também