Simara acusa presidente da Câmara de Rio Maior

Publicado por Vítor Santos em 15 de Julho de 2020 | 15:35

Simara acusa o presidente da Câmara municipal de Rio Maior de se aproveitar da pandemia (Covid-19), por não lhe devolver os 750 euros pagos por um stand

A ex-cantora, artesã, astróloga e taróloga Simara, foi ao programa de Júlia Pinheiro, na SIC, acusar o presidente da Câmara Municipal de Rio Maior, Santana Dias, de se aproveitar da pandemia (Covid-19), por não lhe devolver o valor (750 euros), pago por um stand na feira das “Tasquinhas”.

Recorde-se que a feira das “Tasquinhas”, com duração de 10 dias, foi, este ano, suspensa ao terceiro dia devido ao Covid-19. Simara afirma que pagou antecipadamente 750 euros por um stand para divulgação e venda de artesanato.

Simara acrescenta que pediu o reembolso do dinheiro referente aos 7 dias que faltavam cumprir e que o presidente da Câmara “lho negou por estar à espera que o Governo lho dê para depois a poder ressarcir”. “Como ele (presidente da câmara), há muitos que se estão aproveitando”, conclui Simara.

Câmara de Rio Maior refuta acusações

Em comunicado, o presidente da autarquia riomaiorense refuta as acusações esclarecendo que a Feira das Tasquinhas de Rio Maior é uma organização conjunta do Município de Rio Maior e da AECRM – Associação Empresarial do Concelho de Rio Maior, acrescentando que “os stands de exposição, como o de Simara, são da exclusiva responsabilidade da AECRM, sendo por esta associação comercializados sem qualquer interferência da autarquia no processo, constituindo receita daquela entidade, destinada a financiar as suas atividades.

A autarquia riomaiorense entende que não está em dívida para com a artista, sendo que, tal dívida, existindo, será da responsabilidade da AECRM.

Acrescenta ainda o comunicado: “Por não ser também da sua responsabilidade, nunca o presidente da Câmara Municipal de Rio Maior reuniu com os expositores presentes nos diferentes stands cuja responsabilidade é da AECRM, tendo reunido sim com as associações locais que gerem os espaços de restauração e com os empresários presentes na zona de animação da Feira”.

A Câmara de Rio Maior exige que seja reposta a verdade, “as afirmações produzidas colocam em causa o bom nome do Município e a relação de confiança que procura estabelecer com todos os particulares e entidades com que se relaciona” lê-se no comunicado.

Tasquinhas não foram canceladas. Apenas estão suspensas

Em declarações ao “Notícias24”, o presidente da AECRM, Sérgio Ferreira esclarece que o certame não foi cancelado, encontrando-se apenas suspenso.

“Enquanto se mantiver a suspensão, a AECRM não poderá devolver valores. Estive reunido com o presidente da Câmara, em Maio, onde o mesmo manteve a suspensão do evento, e agendamos para este mês fazer novo ponto de situação”.

Para a devolução dos valores e para a AECRM poder receber os valores ainda em falta por parte de muitos expositores, o nosso parceiro (câmara de Rio Maior), terá de cancelar o evento e terminar a suspensão do mesmo”, esclarece Sérgio Ferreira.

Deixe o seu comentário

Siga-nos através das redes sociais

últimas
Notícias Relacionadas
Leia também