Sporting: contestação ao rubro

Antigo dirigente do Sporting, Dias Ferreira, pede a demissão do presidente. Petição pública pede a Bruno de Carvalho que se demita, acusando-o de representar a constante desordem, instabilidade e guerrilha O antigo dirigente do Sporting Dias Ferreira disse hoje à agência Lusa que gostaria que Bruno de Carvalho “tomasse a iniciativa” de se demitir da […]

Autor: Vítor Santos | 9 de Abril de 2018

Antigo dirigente do Sporting, Dias Ferreira, pede a demissão do presidente. Petição pública pede a Bruno de Carvalho que se demita, acusando-o de representar a constante desordem, instabilidade e guerrilha


O antigo dirigente do Sporting Dias Ferreira disse hoje à agência Lusa que gostaria que Bruno de Carvalho “tomasse a iniciativa” de se demitir da presidência do clube lisboeta e não fosse afastado pelos sócios em Assembleia Geral (AG).

“Gostava que ele próprio tomasse a iniciativa de adotar as medidas que mais servissem o Sporting”, defendeu Dias Ferreira, considerando que a demissão de Bruno de Carvalho “é uma das soluções” para resolver um problema que vê com “manifesta preocupação”.

Dias Ferreira observou que “o presidente da Mesa da Assembleia Geral está no exercício das suas competências e saberá as medidas que deve tomar”, advertindo que Jaime Marta Soares “tem nas suas mãos a solução para este problema”, apesar de não “gostar de o ver resolvido dessa forma”.

“É uma situação para a qual ninguém estava preparado e que não é fácil de resolver, mas terá de ser feito com calma e com ponderação”, assinalou o antigo dirigente ‘leonino’, notando que “seria mais fácil encontrar uma solução se tudo estivesse perdido”.

Dias Ferreira advertiu que a instabilidade gerada pelo braço-de-ferro entre Bruno de Carvalho e a equipa de futebol pode ter consequência na fase final da época, na qual o clube de Alvalade ainda pode vencer o campeonato, Taça de Portugal e Liga Europa, apesar de estar em desvantagem em todas as provas.

“Ainda não consigo perceber o ponto de vista dele, quais as suas intenções. Devo ter algum cuidado, porque pode tratar-se de uma situação de saúde. Bruno de Carvalho fez um bom trabalho, mas, de repente, virou de uma forma que não esperava”, afirmou.

No domingo, após a vitória da equipa de futebol do Sporting frente ao Paços de Ferreira, por 2-0, num jogo em que os jogadores ‘leoninos’ foram aplaudidos e o presidente assobiado, Bruno de Carvalho acusou os adeptos ‘verde e brancos’ de serem “ingratos e de memória curta”, remetendo os pedidos de demissão para as reuniões magna do clube.

Bruno de Carvalho criticou na quinta-feira as exibições de alguns jogadores do Sporting, a seguir à derrota em casa do Atlético de Madrid (2-0), na Liga Europa.

Na sexta-feira, 19 jogadores do plantel, entre os quais Rui Patrício, William Carvalho, Fábio Coentrão, Coates, Gelson Martins e Bruno Fernandes, divulgaram um comunicado em que manifestaram “desagrado” com as críticas do presidente do clube.

Em resposta, Bruno de Carvalho partilhou um texto no Facebook, visível para os seus amigos na rede social, em suspendia os jogadores que subscreveram um comunicado e fazia saber que teriam de enfrentar a disciplina do clube.

No sábado, o treinador da equipa, Jorge Jesus, afirmou que os futebolistas não receberam qualquer nota de suspensão por parte do clube e garantiu que Bruno de Carvalho lhe deu “liberdade para convocar os jogadores” que entendesse para o jogo de domingo com o Paços de Ferreira, da 29.ª jornada da I Liga de futebol, o que aconteceu, com os ‘leões’ a vencerem por 2-0.

Antes do encontro, Bruno de Carvalho voltou a colocar um ‘post’ no Facebook a criticar os futebolistas, afirmando que “serão mantidos os processos disciplinares” aos jogadores, que mancharam “o bom nome do presidente e do clube”.

Petição Pública

Entretanto um sócio do Sporting lançou uma petição pública onde pede que Bruno de Carvalho abandone a presidência do Sporting.

O texto que já conta com mais de mil e duzentas assinaturas começa por enaltecer o trabalho realizado por Bruno de Carvalho enquanto presidente do Sporting, salientando-se a recuperação financeira e a construção do pavilhão João Rocha.

Contudo, o autor  da petição prossegue o texto com críticas a Bruno de Carvalho, acusando o presidente leonino de incitamento ao ódio.

“No entanto, Bruno de Carvalho representa também o que de mais rasteiro existe em Portugal, representa o Populismo, o “vale tudo para ganhar”, o constante ataque e incitação de ódio ao rival, o querer mostrar que é diferente dos anteriores Presidentes ao máximo, nem que com isso tenha de falar primeiro com o coração e depois com a cabeça. Representa a constante desordem, a constante instabilidade, a constante guerrilha, a constante demonstração de incapacidade para gerir uma instituição centenária como é o Sporting Clube de Portugal”, continua a petição.

“Por isto, e por não aguentar mais ver o meu clube a caminhar para níveis tão baixos de credibilização, apelo que o presidente Bruno de Carvalho abandone o meu clube o mais rapidamente possível”, termina o autor da petição.

Também o presidente da mesa da Assembleia Geral do Sporting, Marta Soares, em declarações à TSF, avançou com a possibilidade de Bruno de Carvalho pedir demissão ou, se tal não acontecer, caberá à Assembleia Geral “fazer regressar a paz” ao clube.

Bruno de Carvalho reagiu entretanto através de uma publicação de Facebook. O presidente dos leões diz que Marta Soares é “foco de problemas” e anuncia que pedirá à direção a convocação de uma Assembleia Geral.

Deixe o seu comentário
Leia também