crianças gruta tailandia, , "/>
últimas

Tailândia: Todos os menores e treinador resgatados

Publicado por Vítor Santos em 10 de Julho de 2018 | 13:19

Todas as crianças e o treinador de 25 anos que as acompanhava foram resgatados da gruta Tham Luang, em Chiang Rai, na Tailândia, ao fim de três dias de operações

crianças foram salvas na Tailândia

Siga-nos através do Facebook

Fique a par do que já se sabe até ao momento sobre o resgate de 12 menores e do seu treinador de futebol, presos desde 23 de junho na gruta Tham Luang, em Chiang Rai, na Tailândia. O SAPO24 estará a acompanhar a situação dia-a-dia, dando conta de todos os desenvolvimentos relevantes sobre o caso.

10 de julho: Sucesso! A Marinha tailandesa confirmou que as 12 crianças e o treinador de 25 anos foram resgatados da gruta Tham Luang, em Chiang Rai, na Tailândia, onde estavam encurralados desde 23 de junho.

Minutos antes, a Marinha já se mostrava confiante que, ” hoje à noite, todos os javalis [em referência à sua equipa de futebol] estarão reunidos novamente”.

Chuvas fortes marcaram o início das operações de resgate neste terceiro dia. Este era o cenário que as autoridades tailandesas receavam, colocando mais pressão ainda na missão dos mergulhadores, uma vez que continuam a chegar informações sobre a descida na percentagem de oxigénio no ar no complexo subterrâneo .

As autoridades previam resgatar hoje as quatro crianças que ainda faltavam e o treinador, o que veio a confirmar-se. A última retirada foi de Ekkapol Chantawong, de 25 anos.

Um médico e três mergulhadores dos comandos da marinha tailandesa, que ficaram junto do grupo desde que foi encontrado no início da semana passada, também saem esta terça-feira e, segundo a imprensa internacional, devem emergir da gruta em breve.

A terceira operação de resgate teve início pelas 10:00 (04:00 em Lisboa) e envolveu 19 mergulhadores.

Entre domingo e segunda-feira, oito das crianças foram resgatadas com sucesso. De acordo com as autoridades, estas encontram-se “saudáveis”. De referir também que os quatro primeiros rapazes retirados no domingo já tiveram um primeiro contacto com as famílias — o risco de infeções ditava o isolamento das mesmas. Os menores e treinador deverão ficar internados pelo menos sete dias em observação.

O grupo de 12 rapazes e o treinador foram explorar a área depois de um jogo de futebol no dia 23 de junho.

Na altura, as inundações resultantes das monções bloquearam-lhes a saída da gruta e impediram que as equipas de resgate os encontrassem. O acesso ao local onde ficaram encurralados só foi possível via mergulho, através de túneis escuros e estreitos, cheios de água turva e correntes fortes.

9 de julho: Oito pessoas foram retiradas da gruta Tham Luang, em Chiang Rai, em dois dias de operações de resgate (quatro menores no domingo e quatro esta segunda-feira, 9 de julho). Citado pela Associated Press, um oficial da marinha tailandesa confirmou esta informação.

Cinco (quatro rapazes e o treinador) elementos da equipa de futebol Wild Boars [Javalis Selvagens] permanecem encurralados na gruta situada na província de Chiang Rai, no norte da Tailândia, junto à fronteira com Myanmar (antiga Birmânia) e o Laos. Segundo a BBC, o plano das autoridades passa por continuar a operação de resgate amanhã, terça-feira, 10 de julho, e prevê-se a retirada dos cinco elementos que faltam.

As autoridades temiam que a chuva aumentasse o nível da água dentro da gruta, mas poucas horas depois de ter começado a segunda fase, na manhã de dia 9 de julho, estas informaram que tal não aconteceu.

Entretanto, as autoridades já confirmaram que os quatro menores resgatados domingo se encontram bem de saúde. Os menores estão ainda a ser submetidos a diversos exames médicos no hospital e ainda não estão autorizados a entrar em contacto direto com a família. Devido ao perigo de infeções, só puderam ver os familiares através de uma divisória de vidro.

8 de julho: Está decidido, arranca a operação de resgate das crianças e jovens presos na gruta. Todos aqueles que não estão diretamente envolvidos nas operações são convidados a abandonar o local — meios de comunicação social incluídos. Dois a quatro dias, são estas as estimativas para a retirada de todos os que estão presos na gruta. Por fim, as autoridades confirmam que quatro dos 12 menores foram resgatados. As operações de busca são depois suspensas. Enquanto isso, do outro lado do mundo, Elon Musk apresenta as cápsulas submarinas que a sua equipa desenvolveu para um eventual plano B de resgate.

7 de julho: “Peço perdão a todos os pais”. O treinador de futebol envia, através dos mergulhadores, uma carta em que pede perdão aos pais das crianças. No exterior, as autoridades anunciam que fizeram já mais de 100 furos na montanha, em busca de alternativas à evacuação por mergulho. Por outro lado, o governador da região de Chiang Rai (onde fica localizada a gruta de Tham Luang), Narongsak Osottanakorn, afirma que os próximos três a quatro dias são “o momento mais favorável para a operação [de resgate] em termos do nível da água, das condições meteorológicas e do estado de saúde dos rapazes”.

6 de julho: Um antigo membro da marinha tailandesa morre, por falta de oxigénio, depois de ter entregado uma reserva de ar às crianças presas na gruta. Chamava-se Saman Guman e tinha 38 anos. As autoridades desaconselham a evacuação por mergulho dos doze rapazes e respetivo treinador, mas assumem que o tempo não joga a seu favor. A situação é acompanhada a par e passo a nível internacional. Elon Musk, CEO da Tesla e fundador da SpaceX e da Boring Company oferece ajuda ao Governo tailandês e envia equipa de engenheiros para o terreno. Gianni Infantino, presidente da FIFA, deixa uma nota de esperança num dia fatídico ao convidar as crianças que estão presas na gruta para assistirem à final do Mundial na Rússia.

5 de julho: As previsões de chuva em época de monções transformam este resgate numa luta contra o tempo. Os socorristas tentam reduzir o nível da água de forma suficiente para que as crianças não precisem mergulhar ou que tenham que mergulhar por pouco tempo. 13 equipamentos de mergulho estão já a postos. No entanto, é de salientar que um mergulhador experiente precisa de 11 horas para ir e voltar do local onde estão as crianças: seis horas na ida e cinco horas na volta, aproveitando a corrente.

4 de julho: “Estou saudável”. Chegam ao exterior as primeiras mensagens das crianças presas na gruta, através de um vídeo publicado no Facebook. As autoridades tentam paralelamente montar linhas telefónicas dentro da gruta, de modo a permitir que as crianças comuniquem com as famílias. Uma tarefa muito complexa e sem sucesso.

3 de julho: Com parte da grupa inundada, é impossível proceder no imediato às operações de resgate. Jovens e adolescentes presos recebem mantimentos e aulas de mergulho. No exterior, as autoridades bombeiam água para fora da gruta.

2 de julho: Os menores e o treinador, presos há mais de uma semana, são encontrados com vida, anunciou o governador da província de Chiang Rai, Narongsak Osatanakorn.

30 de junho: Ainda sem conseguir estabelecer contacto com as crianças e jovens presos, as autoridades repetem exercícios de socorro. Várias centenas de socorristas, incluindo soldados norte-americanos e mergulhadores britânicos, continuam mobilizados no local.

23 de junho: 12 crianças e adolescentes, com idades entre 11 e 16 anos, e o seu treinador de futebol, de 25 anos, entram na caverna de Tham Luang, perto da fronteira com Mianmar e Laos, após um treino de futebol. A chuva bloqueou a entrada principal da rede subterrânea complexa, que tem vários quilómetros de comprimento, impedindo a saída dos jovens.


Deixe o seu comentário

Leia também

Notícias relacionadas
Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE