Vergonha de ser português

Publicado por Vítor Santos em 14 de Fevereiro de 2018 | 18:02

Quem diria que hoje, aos 60 anos de idade, sinto vergonha de ser PORTUGUÊS Na educação dos meus filhos contei-lhes histórias de homens e mulheres… [ ]

Quem diria que hoje, aos 60 anos de idade, sinto vergonha de ser PORTUGUÊS


Na educação dos meus filhos contei-lhes histórias de homens e mulheres que contribuíram para a fundação de Portugal. Contei-lhes histórias dos homens que alargaram as fronteiras deste país e as defenderam contra espanhóis e franceses.

Incuti no meus filhos o orgulho de ser português. Fiz questão que todos os meus filhos soubessem a letra da “Portuguesa” (Hino Nacional). Confesso que “Heróis do Mar” e “Nobre Povo Nação Valente e Imortal” me fazia crescer o ego de ser PORTUGUÊS!

Dez séculos depois de Afonso Henriques andar à “porrada” com “Castela” e “Mouros” para fundação da portugalidade, esta Nação descambou às mãos de políticos corruptos, de uma imprensa que não olha a meios para atingir os fins e de uma opinião pública quase inexistente.

Temos um governo que permite que um país pobre e, de novo à beira da falência, fique parado durante 4 dias porque é preciso brincar ao carnaval.

Temos um presidente da República em sessões carnavalescas 365 dias por ano.

Temos uma das estações televisivas com maior audiência em Portugal entrevistar um suspeito de corrupção ativa e lavagem de dinheiro em horário nobre. Para logo de seguida mostrar os carnavais saloios que proliferam como cogumelos (quando chove), por este país.

Entrevistarem um suspeito de “corrupção ativa” e “lavagem de capitais”. Fizeram as perguntas que convinha ao entrevistado, esquecendo de o questionar porque razão a mãe do entrevistado, cujos últimos rendimentos declarados na Segurança Social antes de lhe ter sido atribuída a pensão de reforma, não vão além dos 600 euros ano/cerca de 50 euros por mês. E porque “carga de água”, a mãe do entrevistado está a receber uma pensão de 3 mil euros/mês.

Esqueceram-se de perguntar ao entrevistado como é possível uma senhora com um rendimentos de 50 euros/mês, comprar a pronto um apartamento na Av. de Roma em Lisboa avaliado em quase meio milhão de euros.

Em Portugal, no momento em que escrevo este artigo, existem 60 pessoas detidas porque se esqueceram de renovar a carta de condução (estão detidas por não pagarem a respectiva coima).

A TVI teria prestado um verdadeiro serviço público se tivesse divulgado esta notícia e, se devidamente tratada, teria revelado que, com o actual “código”, todos os cidadãos terão de renovar a sua carta de condução de 15 em 15 anos até aos 60, sem necessidade de apresentar atestado médico. E é muito fácil: basta ir à net, entrar no site respectivo, clicar que quer renovar a carta de condução, PAGAR e… independentemente do seu estado físico ou psicológico, está apto a conduzir por mais 15 anos!!!

Quem diria que hoje, aos 60 anos de idade, eu sinto vergonha de ser PORTUGUÊS.

Vítor Santos

Deixe o seu comentário

Siga-nos através das redes sociais

últimas
Notícias Relacionadas
Leia também